Mercado abrirá em 8 h 56 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,17
    +0,56 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.797,60
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    36.959,25
    +935,66 (+2,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    835,96
    +16,45 (+2,01%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.617,17
    -189,83 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    26.720,06
    +549,76 (+2,10%)
     
  • NASDAQ

    14.175,25
    +188,50 (+1,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0287
    +0,0047 (+0,08%)
     

Preços do petróleo avançam quase 5% com esperança em relação à variante Ômicron

·1 min de leitura
Plataforma da Petrobras, no Rio de Janeiro (RJ)

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram quase 5% nesta segunda-feira na esperança de que a variante do coronavírus Ômicron teria um impacto econômico menos prejudicial se seus sintomas se provassem moderados e alguns países membros do Opep sinalizassem confiança no mercado.

Relatórios na África do Sul disseram que os casos de Ômicron lá mostraram apenas sintomas leves e a mais importante autoridade de doenças infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, disse à CNN que "não parece haver um grande grau de gravidade" até agora.

A Casa Branca disse nesta segunda-feira que a proibição dos EUA de entrada de estrangeiros no país vindos de oito países do sul da África é algo que os conselheiros de saúde pública do presidente Joe Biden reconsideram diariamente.

O petróleo Brent subiu 3,20 dólares, ou 4,6%, para fechar em 73,08 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) avançou 3,23 dólares, ou 4,9%, para fechar em 69,49 dólares o barril.

Na semana passada, ambas as marcas de referência caíram pela sexta semana consecutiva.

"Todas as manchetes estão altistas hoje", disse Phil Flynn, analista sênior do Price Futures Group. "O ímpeto parece estar voltando."

A marca de referência global Brent subiu 38% este ano, apoiado por restrições de produção lideradas pelo grupo de produtores Opep+, embora tenha caído de uma máxima de três anos acima de 86 dólares em outubro.

(Reportagem adicional de Alex Lawler e Florence Tan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos