Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.326,16
    -1.615,52 (-1,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.628,28
    -971,10 (-1,88%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,89
    -2,25 (-2,64%)
     
  • OURO

    1.839,20
    +7,40 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    36.074,29
    +1.243,56 (+3,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    818,79
    +8,19 (+1,01%)
     
  • S&P500

    4.329,01
    -68,93 (-1,57%)
     
  • DOW JONES

    33.790,37
    -475,00 (-1,39%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.119,75
    -306,75 (-2,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2267
    +0,0367 (+0,59%)
     

Preços do petróleo avançam com queda de estoques dos EUA

·1 min de leitura
Bomba de petróleo na Bacia Permian, em Loving County (Texas)

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira, depois que dados do governo mostraram que os estoques de combustíveis dos Estados Unidos caíram na semana passada, compensando as preocupações de que o aumento dos casos de coronavírus possa reduzir a demanda.

O petróleo Brent subiu 0,29 dólar para fechar em 79,23 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) avançou 0,58 dólar para fechar em 76,56 dólares o barril.

Nos Estados Unidos, o número médio de casos diários confirmados de coronavírus atingiu um recorde de 258.312 nos últimos sete dias, revelou um levantamento da Reuters na quarta-feira.

Ambos os contratos futuros de petróleo foram negociados anteriormente em suas máximas em um mês, depois que os dados do governo dos EUA mostraram estoques de petróleo menores.

Os estoques de petróleo caíram 3,6 milhões de barris na semana passada, para 420 milhões de barris, em comparação com as expectativas de analistas em uma pesquisa da Reuters de uma queda de 3,1 milhões de barris.

O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, disse que o grupo de produtores Opep+ resistiu aos apelos de Washington para aumentar a produção porque quer fornecer ao mercado uma orientação clara e não se desviar da política de aumentos graduais da produção.

(Reportagem de Dmitry Zhdannikov, Mohi Narayan e Naveen Thukral)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos