Mercado fechará em 1 h
  • BOVESPA

    108.832,40
    +895,29 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.529,24
    -361,35 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,05
    +1,74 (+2,09%)
     
  • OURO

    1.849,40
    +7,70 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    37.157,56
    +1.715,51 (+4,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    845,41
    +24,82 (+3,02%)
     
  • S&P500

    4.328,41
    -81,72 (-1,85%)
     
  • DOW JONES

    34.008,52
    -355,98 (-1,04%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.059,75
    -441,25 (-3,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1645
    -0,0642 (-1,03%)
     

Preços do petróleo avançam 2% com queda de estoques nos EUA e dólar fraco

·1 min de leitura

Por Jessica Resnick-Ault

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo atingiram máximas de dois meses nesta quarta-feira devido à oferta apertada, já que os estoques nos Estados Unidos, o maior consumidor do mundo, caíram para o menor nível desde 2018, com o dólar enfraquecido e as preocupações diminuídas em relação à variante Ômicron.

Os estoques de petróleo dos EUA recuaram 4,6 milhões de barris na semana passada, para 413,3 milhões de barris, a mínima desde outubro de 2018, informou a Administração de Informação de Energia (AIE). Analistas previam em uma pesquisa da Reuters uma queda de 1,9 milhão de barris.

"A extração de petróleo foi maior do que o esperado, apesar de uma queda significativa na atividade de refino", disse Matt Smith, analista-chefe de petróleo para as Américas da Kpler, uma empresa de dados.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,95 dólar, ou 1,1%, a 84,67 dólares o barril. O petróleo dos EUA (WTI) subiu 1,42 dólar, ou 1,8%, a 82,64 dólares.

A queda do dólar foi o principal impulsionador dos preços mais altos do petróleo, superando até mesmo a questão da AIE, disse Smith, da Kpler. Um dólar mais fraco torna os contratos de petróleo denominados em dólar mais baratos para detentores de outras moedas.

(Reportagem de Sonali Paul em Melbourne e Koustav Samanta em Cingapura, Noah Browning e Shadia Nasralla em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos