Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    119.376,69
    -187,75 (-0,16%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.907,61
    +507,81 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,76
    -0,87 (-1,33%)
     
  • OURO

    1.813,30
    +29,00 (+1,63%)
     
  • BTC-USD

    55.739,34
    -1.592,36 (-2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.445,30
    -26,12 (-1,78%)
     
  • S&P500

    4.177,80
    +10,21 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    34.383,36
    +153,02 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.489,00
    -2,00 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3656
    -0,0613 (-0,95%)
     

Preços do petróleo aumentam mais que 1% com expectativa de recuperação na demanda

Stephanie Kelly
·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo em Granum, Canadá

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo aumentaram em mais de 1% nesta segunda-feira, com o cenário da economia chinesa e as taxas de vacinação dos Estados Unidos apontando para uma forte recuperação na demanda nas duas maiores economias do mundo.

Investidores permanecem cautelosos, contudo, com as taxas de infecções estão atingindo níveis recordes na Índia, terceira maior importadora de combustível no mundo inteiro, junto com maior abastecimento de petróleo da Opec+.

O petróleo Brent aumentou 0,80 dólar, ou 1,2%, a 67,56 dólares por barril. Já o petróleo dos EUA (WTI) subiu 0,91 dólar, ou 1,4%, para fechar em 64,49 dólares o barril.

Os Estados Unidos e a China, os maiores consumidores de petróleo no mundo, têm expectativas de mostrar uma recuperação na demanda, devido à pandemia do coronavírus.

"Mesmo com os casos de Covid-19 atingindo níveis recordes essa semana, os preços do petróleo aumentaram devido aos crescentes números de vacinação em mercados desenvolvidos", afirmou um relatório da BofA Global Research. "Dados recentes apontam para a eficácia das vacinas em prevenir infecções e mortes."

(Reportagem de Stephanie Kelly em Nova York; Reportagem adicional de Alex Lawler e Florence Tan)