Mercado fechará em 2 h 54 min
  • BOVESPA

    113.337,76
    +1.064,75 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.575,89
    +54,46 (+0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,15
    +1,25 (+1,60%)
     
  • OURO

    1.943,80
    +4,60 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    23.131,53
    -51,25 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,94
    +6,15 (+1,18%)
     
  • S&P500

    4.044,92
    +27,15 (+0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.804,72
    +87,63 (+0,26%)
     
  • FTSE

    7.774,21
    -10,66 (-0,14%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.067,25
    +99,25 (+0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5301
    -0,0169 (-0,30%)
     

Preços do petróleo atingem máximas desde 1º de dezembro com otimismo na China

Por Shariq Khan

BANGALORE (Reuters) - Os preços do petróleo subiram 1% nesta quinta-feira, estendendo um rali recente construído em torno da crescente demanda chinesa, enquanto o mercado registrou uma segunda semana consecutiva de grandes aumentos nos estoques dos EUA.

Os contratos futuros de petróleo Brent subiram 1,18 dólar, ou 1,4%, para 86,16 dólares por barril, enquanto os contratos futuros de petróleo nos EUA (WTI) subiram 0,85 dólar, ou 1,1%, para 80,33 dólares por barril. Esses foram os níveis de fechamento mais altos para ambos os contratos desde 1º de dezembro.

A demanda chinesa por petróleo aumentou quase 1 milhão de barris por dia (bpd) em relação ao mês anterior, para 15,41 milhões de bpd, o nível mais alto desde fevereiro, de acordo com os últimos números de exportação publicados pela Joint Organizations Data Initiative.

Os mercados de energia podem ficar mais apertados em 2023, especialmente se a economia chinesa se recuperar e a indústria de petróleo russa enfrentar sanções, disse o chefe da Agência Internacional de Energia (IEA), Fatih Birol, nesta quinta-feira.

"Todos os caminhos parecem levar de volta ao mesmo insumo - a crescente demanda chinesa", disse John Kilduff, sócio da Again Capital LLC em Nova York.

"Há tanto sentimento otimista por aí, tanto medo, que continua sustentando este mercado."

(Por Shariq Khan, reportagem adicional de Noah Browning, Ahmad Ghaddar, Sonali Paul e Emily Chow)