Mercado fechará em 1 h 54 min
  • BOVESPA

    121.882,65
    +81,44 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.266,40
    +70,97 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,96
    +0,81 (+1,19%)
     
  • OURO

    1.807,30
    -7,20 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    40.645,87
    +1.131,42 (+2,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.002,62
    +26,73 (+2,74%)
     
  • S&P500

    4.421,31
    +18,65 (+0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.992,36
    +199,69 (+0,57%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.148,25
    +74,75 (+0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1534
    +0,0351 (+0,57%)
     

Preços o petróleo fecham próximos da estabilidade com indefinição na Opep+

·1 minuto de leitura
Sede da Opep, em Viena, Áustria

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo ficaram próximos da estabilidade nesta sexta-feira após os ministros da Opep+ não conseguirem chegar a um acordo sobre a política de produção de petróleo pelo segundo dia consecutivo, porque os Emirados Árabes Unidos bloquearam alguns aspectos do pacto.

As reuniões serão retomadas na segunda-feira. O impasse pode atrasar os planos de bombear mais petróleo até o fim do ano para resfriar os preços do petróleo que dispararam para máximas de 2 anos e meio.

Os futuros do Brent avançaram 0,33 dólar para fechar em 76,17 dólares o barril, após aumentar 1,6% na quinta-feira.

Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) recuaram 0,07 dólar para fechar em 75,16 dólares o barril, após disparar 2,4% na quinta-feira, para fechar na máxima desde outubro de 2018.

"Estamos no modo esperar para ver aqui com a Opep", disse John Kilduff, sócio na Again Capital em Nova York. "Teremos que ver onde os Sauditas querem chegar em termos de manter o grupo unido".

"Se a aliança se partir e separar... o mercado do petróleo poderia afundar em uma queda de preço similar a testemunhada quando e Rússia "deixou" a Opep+ na reunião de março de 2020 e provocou uma guerra de preços", afirmou Louise Dickson, analista do mercado de petróleo na Rystad Energy.

(Reportagem adicional de Sonali Paul)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos