Preços internacionais afetaram exportações, diz MDIC

A ministra interina do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Tatiana Prazeres, atribuiu a queda de 5,3% nas exportações brasileiras em 2012 a principalmente três fatores: quedas nos preços internacionais, retração do mercado europeu e aumento das barreiras comerciais em outros mercados.

Segundo ela, se o preço do minério de ferro tivesse permanecido no mesmo patamar de 2011, as exportações teriam sido maiores em US$ 10,3 bilhões, o que faria com que a queda no ano fosse de apenas 1,2%. Tatiana avaliou que a crise internacional também aumentou as barreiras comerciais em outros mercados, prejudicando as vendas de produtos brasileiros.

Segundo a ministra interina, o País registrou em 2012 o segundo maior valor da história em exportações e importações. No ano passado, as exportações somaram US$ 243 bilhões e as importações, US$ 223 bilhões. Segundo Tatiana Prazeres, esses recuos foram influenciados pela base de comparação elevada. Em 2011, o País registrou recorde de exportações, que alcançaram US$ 256 bilhões, um crescimento de 27% em relação a 2010. Também houve recorde em 2011 nas importações, que atingiram US$ 226 bilhões, uma alta de 24,5% ante 2010.

A ministra interina destacou que, em 2009, durante a crise internacional, as exportações caíram 22,7% em relação a 2008. "Nesse segundo momento da crise, tivemos uma retração de apenas 5,3% sobre o nível de 2011, que foi recorde. As exportações têm, sim, um bom desempenho. Estamos em um nível bastante alto", afirmou. "Do ponto de vista das exportações e das importações, estamos mantendo um patamar de comércio bastante elevado, que teve seu ápice em 2011."

Carregando...