Mercado fechará em 31 mins
  • BOVESPA

    111.115,58
    -2.314,96 (-2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.685,95
    +121,68 (+0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,41
    -2,46 (-3,12%)
     
  • OURO

    1.941,60
    -3,70 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    22.997,31
    -149,56 (-0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,04
    +277,36 (+114,29%)
     
  • S&P500

    4.056,81
    -19,79 (-0,49%)
     
  • DOW JONES

    33.763,83
    -322,21 (-0,95%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    -10,59 (-0,14%)
     
  • HANG SENG

    22.072,18
    +229,85 (+1,05%)
     
  • NIKKEI

    27.346,88
    +19,77 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.124,00
    -28,00 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5529
    +0,0373 (+0,68%)
     

Preços de importados nos EUA têm retomada em dezembro

Contêineres são descarregados em porto de Los Angeles, EUA

WASHINGTON (Reuters) - Os preços de importação nos Estados Unidos aumentaram inesperadamente em dezembro, após cinco quedas mensais consecutivas, impulsionados por custos mais altos de alimentos e outros bens, indicando que a luta contra a inflação pode ser prolongada mesmo com a tendência de queda nos custos ao consumidor.

Os preços de importação avançaram 0,4% em dezembro, após recuo de 0,7% no mês anterior, informou o Departamento do Trabalho dos EUA. Economistas consultados pela Reuters estimavam que os preços de importação, que excluem tarifas, cairiam 0,9%.

Nos 12 meses até dezembro, os preços dos importados aumentaram 3,5%, na sequência de alta de 2,7% em novembro.

"A batalha do Fed contra a inflação provavelmente vai durar mais do que os mercados pensam, já que ventos favoráveis ​​dos preços de bens importados que entram no país voltaram a ser ventos contrários", disse Christopher Rupkey, economista-chefe do FWDBONDS, em Nova York.

O governo dos EUA informou na quinta-feira que os preços mensais ao consumidor caíram pela primeira vez em mais de dois anos e meio em dezembro.

Excluindo combustíveis e alimentos, os preços de importação avançaram 0,4%, registrando seu primeiro ganho mensal desde abril de 2022. O chamado núcleo dos preços de importação caiu 0,6% em novembro.

A alta no núcleo dos preços de importação em dezembro ocorreu apesar da valorização do dólar em relação às moedas dos principais parceiros comerciais dos EUA. A divisa norte-americana ganhou 5,6% em uma base ponderada pelo comércio no ano passado. Neste início de ano, porém, tem tido dificuldades, o que pode manter os preços básicos de importação altos.

O Departamento do Trabalho também informou que os preços de exportação recuaram 2,6% em dezembro, caindo pelo sexto mês consecutivo.

Na comparação anual, os preços de exportação subiram 5,0%, o menor ganho desde janeiro de 2021, após alta de 6,1% em novembro.

(Por Lucia Mutikani)