Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.942,79
    -16,02 (-0,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Preços de importados nos EUA caem em outubro pelo 4º mês seguido

WASHINGTON (Reuters) - Os preços de importados nos Estados Unidos caíram pelo quarto mês consecutivo em outubro, pressionados pela queda dos custos dos produtos petrolíferos e um dólar forte, na mais recente indicação de que a inflação provavelmente atingiu o pico.

Os preços de importação caíram 0,2% no mês passado, depois de queda de 1,1% em setembro, disse o Departamento do Trabalho nesta quarta-feira.

Nos 12 meses até outubro, os preços aumentaram 4,2%, menor nível desde fevereiro de 2021, depois de terem subido 6,0% em setembro.

Economistas consultados pela Reuters projetavam queda de 0,4% dos preços de importação, que excluem as tarifas, na base mensal.

Dados governamentais deste mês mostraram que os preços ao consumidor e ao produtor aumentaram menos do que o esperado em outubro, alimentando expectativas do mercado financeiro de que o Federal Reserve reduziria o ritmo de seus agressivos aumentos dos juros em dezembro.

O banco central dos EUA elevou a taxa de juros em 3,75 pontos percentuais este ano, de quase zero para uma faixa de 3,75%-4,00%, em seu combate à inflação desenfreada, no que se tornou o ciclo de altas mais rápido desde os anos 1980.

A queda dos preços de importação também apontou para um alívio das cadeias de fornecimento globais, o que se refletiu em leituras fracas nos núcleos dos preços de bens de consumo e de produção em outubro.

(Reportagem de Lucia Mutikani)