Mercado abrirá em 7 h 41 min
  • BOVESPA

    110.188,57
    +787,16 (+0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,28
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.784,30
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    17.031,48
    +28,34 (+0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,73
    -0,07 (-0,02%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.521,39
    -46,15 (-0,61%)
     
  • HANG SENG

    19.469,46
    +28,28 (+0,15%)
     
  • NIKKEI

    27.727,71
    -158,16 (-0,57%)
     
  • NASDAQ

    11.594,50
    +28,50 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4785
    -0,0002 (-0,00%)
     

Preços caem US$2 e têm mínimas de 9 meses com dólar mais forte

Miniaturas de barris de petróleo em 3D

Por Laura Sanicola

(Reuters) - Os preços do petróleo caíram 2 dólares o barril nesta segunda-feira, estabelecendo-se em mínimas de nove meses após uma sessão volátil, pressionados pelo fortalecimento do dólar, enquanto os participantes do mercado aguardavam detalhes sobre novas sanções à Rússia.

O contratos futuros do Brent para novembro caíram 2,09 dólares, ou 2,4%, para encerrar a 84,06 dólares o barril, abaixo dos níveis de 14 de janeiro. O petróleo dos EUA para entrega em novembro caiu 2,06 dólares, ou 2,3%, para 76,71 dólares, o menor valor desde 6 de janeiro.

Ambos os contratos subiram no início da sessão depois de caírem cerca de 5% na sexta-feira.

O índice do dólar atingiu uma máxima de duas décadas, pressionando a demanda por petróleo, que é cotado na moeda americana.

O impacto de um dólar forte nos preços do petróleo é o mais pronunciado em mais de um ano, mostram os dados do Refinitiv Eikon.

"É difícil para qualquer um esperar que o petróleo se recupere após um dólar tão caro", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho.

As interrupções na oferta pela guerra Rússia-Ucrânia também atingiram o mercado de petróleo, com as sanções da União Europeia ao petróleo russo iniciando em dezembro, juntamente com um plano dos países do G7 para um teto de preço do petróleo russo, o que deve apertar o suprimento.

(Reportagem adicional de Noah Browning, Mohi Narayan em Nova Delhi e Sonali Paul em Melbourne)