Mercado fechará em 4 h 47 min
  • BOVESPA

    122.295,38
    +414,56 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.270,59
    +51,33 (+0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,05
    +0,68 (+1,04%)
     
  • OURO

    1.865,30
    +27,20 (+1,48%)
     
  • BTC-USD

    44.034,71
    -4.147,89 (-8,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.219,20
    +21,29 (+1,78%)
     
  • S&P500

    4.150,92
    -22,93 (-0,55%)
     
  • DOW JONES

    34.223,21
    -158,92 (-0,46%)
     
  • FTSE

    7.041,98
    -1,63 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.271,00
    -116,00 (-0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3912
    -0,0128 (-0,20%)
     

Preços caem de máximas de 1 mês por temores com demanda e pandemia

Laura Sanicola
·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo em Scheibenhard, França

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - Os contratos futuros do petróleo recuaram nesta terça-feira, afastando-se de máximas de um mês, por temores de que a Índia, terceira maior importadora global da commodity, possa impor restrições em meio à disparada nos números de casos e mortes por coronavírus no país.

As cotações do petróleo têm avançado constantemente neste ano, com o mercado antecipando uma recuperação na demanda, mas enquanto Estados Unidos e China avançam com suas retomadas, diversos outros país não seguem o mesmo caminho.

"A não ser que um grande progresso seja visto para além de importantes nações industrializadas, como os EUA, o 'fator pandemia' pode requerer alguns ajustes para baixo nas expectativas para a demanda global por petróleo neste ano", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, afirmou nesta terça-feira que os cidadãos devem tomar precauções para conter a disseminação da Covid-19, mas não chegou a impor lockdowns.

Enquanto isso, restrições seguem afetando a circulação de pessoas pelo mundo. Hong Kong anunciou que suspenderá por duas semanas, a partir desta terça-feira, voos provenientes de Índia, Paquistão e Filipinas.

O petróleo Brent fechou em queda de 0,48 dólar, ou 0,7%, a 66,57 dólares por barril. Durante a sessão, a referência internacional atingiu o maior nível desde 18 de março, a 68,08 dólares.

O petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,94 dólar, ou 1,5%, para 62,44 dólares o barril.

(Reportagem adicional de Alex Lawler e Jessica Jaganathan)