Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,71
    -0,44 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.663,50
    -6,50 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    19.497,40
    +363,13 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,58
    +16,80 (+3,92%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.408,73
    +234,75 (+0,90%)
     
  • NASDAQ

    11.552,25
    -3,50 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2269
    -0,0057 (-0,11%)
     

Preços caem 1% após Fed aumentar taxas de juros

Chair do Fed, Jerome Powell, dá entevista coletiva após alta dos juros pelo banco central dos EUA

Por Scott DiSavino e Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram cerca de 1% nesta quarta-feira para os menores valores em quase duas semanas em um dia de negócios voláteis, depois que o Federal Reserve dos EUA divulgou outro forte aumento da taxa de juros para conter a inflação, o que pode reduzir a atividade econômica e a demanda por petróleo.

O Fed elevou a taxa básica em 75 pontos-base pela terceira vez, para uma faixa de 3,00-3,25%, e sinalizou que mais aumentos significativos estão por vir. Ativos de risco como ações e petróleo caíram com as notícias, enquanto o dólar se recuperou.

O Brent recuou 0,79 dólar, ou 0,9%, a 89,83 dólares por barril, seu menor fechamento desde 8 de setembro, enquanto o petróleo WTI, dos EUA, caiu 1,00 dólar, ou 1,2%, para 82,94 dólares, seu menor fechamento desde 7 de setembro.

No início da sessão, o petróleo registrou alta de mais de 2 dólares por barril devido a preocupações com a mobilização de tropas russas, antes de cair mais de 1 dólar com a moeda norte-americana forte e menor demanda de gasolina nos EUA.

O presidente russo, Vladimir Putin, convocou 300.000 reservistas para lutar na Ucrânia e apoiou um plano para anexar partes do país, dando a entender que estava preparado para usar armas nucleares.

O presidente dos EUA, Joe Biden, acusou a Rússia de fazer ameaças "imprudentes" e "irresponsáveis" de usar armas nucleares.

A demanda por gasolina nos EUA nas últimas quatro semanas caiu para 8,5 milhões de barris por dia (bpd), a menor desde fevereiro, segundo a Administração de Informações sobre Energia dos EUA (AIE).

(Reportagem adicional de Ahmad Ghaddar em Londres, Yuka Obayashi em Tóquio, Isabel Kua e Florence Tan em Cingapura e Laila Kearney em Nova York)