Mercado abrirá em 9 h 12 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,00
    +0,39 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.797,20
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    36.842,14
    +956,11 (+2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    832,71
    +13,20 (+1,61%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.547,67
    -259,33 (-1,09%)
     
  • NIKKEI

    26.710,40
    +540,10 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    14.133,75
    +147,00 (+1,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0273
    +0,0033 (+0,05%)
     

Preços avançam com recuo de preocupações com a variante Ômicron

·2 min de leitura
Plataforma marítima de petróleo no Golfo de México.

Por David Gaffen

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo terminaram em alta em uma sessão de idas e vindas nesta quarta-feira, mantendo um sinal positivo, já que os investidores não esperam mais que a variante Ômicron do coronavírus atrapalhe o crescimento econômico global.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam a 75,82 dólares, alta de 0,38 dólar, ou 0,5%. O petróleo dos EUA (WTI) encerrou a 72,36 dólares o barril, alta de 0,31 dólar ou 0,4%.

A marca de referência global Brent se recuperou cerca de 10% desde 1º de dezembro na expectativa de que a Ômicron terá apenas um impacto limitado na demanda de petróleo, após uma queda de 16% desde 25 de novembro. Os primeiros estudos sugerem que duas doses da Pfizer-BioNTech podem proteger apenas parcialmente contra a variante, mas uma terceira dose pode melhorar essa proteção.

"Algumas das preocupações relacionadas à demanda de petróleo diante da Ômicron podem ter sido muito pessimistas e, portanto, com algumas notícias positivas relacionadas à Ômicron sendo divulgadas nos últimos dias, os preços do petróleo se recuperaram", disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS.

O mercado teve uma reação silenciosa aos números do estoque semanal dos EUA. Os estoques de petróleo caíram 240 mil barris e os estoques de gasolina e destilados aumentaram à medida que as refinarias aumentaram a produção. Ao mesmo tempo, porém, o produto norte-americano fornecido por refinarias, um indicador da demanda, atingiu 20,9 milhões de barris por dia nas últimas quatro semanas - excedendo as taxas pré-pandêmicas de consumo.

O mercado espera que a oferta exceda a demanda no início de 2022, devido ao aumento da produção dos Estados Unidos e ao contínuo aumento de oferta do Oriente Médio.

(Reportagem adicional de Laura Sanicola e Ron Bousso)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos