Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,06 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    55.815,86
    -5.159,59 (-8,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    -5,50 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6842
    -0,0369 (-0,55%)
     

Preços ao produtor no Brasil sobem 5,22% em fevereiro, maior alta desde 2014

·1 minuto de leitura
Fábrica de alumínio em Pindamonhangaba, SP

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice de Preços ao Produtor (IPP) subiu 5,22% em fevereiro em relação ao mês anterior, maior alta da série histórica iniciada em 2014, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta terça-feira.

O desempenho do índice em fevereiro é o segundo recorde consecutivo, após a revisão de 3,36% para 3,55% da alta de janeiro. Com isso, o IPP acumula altas recordes de 8,95% no ano e de 28,58% nos últimos 12 meses.

Segundo o IBGE, o resultado de fevereiro reflete principalmente a elevação de preços das indústrias extrativas (27,91%), de refino de petróleo e produtos de álcool (12,12%), de outros produtos químicos (9,69%) e de metalurgia (8,35%).

O índice mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Dessas, 23 apresentaram variações positivas.

(Por Camila Moreira)