Mercado abrirá em 7 h 49 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,40
    +0,83 (+1,27%)
     
  • OURO

    1.779,80
    -4,50 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    56.405,32
    -918,57 (-1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.431,94
    -37,14 (-2,53%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.168,68
    +109,23 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    23.716,13
    +57,21 (+0,24%)
     
  • NIKKEI

    27.765,72
    -169,90 (-0,61%)
     
  • NASDAQ

    15.958,75
    +89,00 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4186
    -0,0282 (-0,44%)
     

Preços ao produtor na zona do euro têm alta recorde em setembro, diz Eurostat

·1 min de leitura
Fábrica da Knaus-Tabbert AG em Jandelsbrunn, Alemanha

BRUXELAS (Reuters) - Os preços ao produtor na zona do euro saltaram em setembro mais do que o esperado devido aos custos da energia, registrando a maior alta na série histórica, em um novo sinal das fortes pressões inflacionárias no bloco, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, estimou que os preços nos portões das fábricas dos 19 países que usam o euro subiram 2,7% em setembro sobre o mês anterior, avançando 16% em relação ao mesmo período do ano anterior, no maior aumento já registrado para o bloco.

O salto também superou as expectativas, já que economistas consultados pela Reuters projetavam altas mensal de 2,2% e anual de 15,2%.

Os preços da energia avançaram 7,7% na comparação mensal e 40,7% na base anual, acelerando as altas. No entanto, excluindo energia, os preços tiveram alta de apenas 0,6% no mês, desacelerando ante os meses anteriores.

O aumento nos preços industriais seguem o avanço nos preços ao consumidor, que subiram 3,4% em setembro na base anual, de acordo com a Eurostat, que estimou alta de 4,1% em outubro.

As altas nos preços ao produtor normalmente se traduzem em custos mais elevados para os consumidores.

(Reportagem de Francesco Guarascio)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos