Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,13
    +1,73 (+1,54%)
     
  • OURO

    1.814,20
    -4,70 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    30.594,04
    +607,53 (+2,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    688,74
    +446,06 (+183,81%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.969,18
    +309,43 (+1,16%)
     
  • NASDAQ

    12.570,00
    +9,75 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2174
    +0,0070 (+0,13%)
     

Preços ao produtor da zona do euro saltam em março, desemprego tem mínima recorde

Mercado em Nice, França

BRUXELAS (Reuters) - Os preços ao produtor da zona do euro subiram mais do que o esperado em março, já que os custos da energia mais do que dobraram na comparação anual, mostraram dados divulgados nesta terça-feira, enquanto o desemprego continuou a cair e atingiu nova mínima recorde.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os preços nos portões das fábricas dos 19 países que usam o euro saltaram 5,3% em março sobre o mês anterior e tiveram alta de 36,8% em relação ao ano anterior. Economistas consultados pela Reuters esperavam um aumento mensal de 5,0% e anual de 36,3%.

Os preços da energia subiram 11,1% no mês e 104,1% na comparação ano a ano, com a invasão russa da Ucrânia impulsionando os preços que já estavam subindo por causa da recuperação econômica após a pandemia.

Sem energia, os preços ao produtor subiram apenas 2,1% no mês e 13,6% em relação ao ano anterior, impulsionados por bens intermediários mais caros, já que algumas cadeias de fornecimento globais continuam prejudicadas.

O desemprego na zona do euro caiu de 6,9% em fevereiro para 6,8% da força de trabalho em março, uma vez que o número de pessoas sem emprego caiu de 11,350 milhões para 11,274 milhões

(Reportagem de Jan Strupczewski)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos