Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.399,91
    +2.506,59 (+2,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.895,63
    +1.116,76 (+2,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,19
    -0,36 (-0,81%)
     
  • OURO

    1.815,90
    -3,00 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    18.788,39
    -61,99 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    369,10
    -10,76 (-2,83%)
     
  • S&P500

    3.662,45
    +40,82 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    29.823,92
    +185,28 (+0,63%)
     
  • FTSE

    6.384,73
    +118,54 (+1,89%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.803,77
    +16,23 (+0,06%)
     
  • NASDAQ

    12.426,50
    -25,75 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3038
    -0,0032 (-0,05%)
     

Preços ao consumidor dos EUA ficam inalterados em outubro

·1 minuto de leitura
Papel higiênico à venda em loja da Filadélfia, EUA
Papel higiênico à venda em loja da Filadélfia, EUA

WASHINGTON (Reuters) - Os preços ao consumidor dos Estados Unidos ficaram inesperadamente inalterados em outubro, já que alta moderada no custo dos alimentos foi compensada pela gasolina mais barata em meio à retração da economia, o que poderia permitir ao Federal Reserve manter sua política monetária flexível por um longo período de forma a ajudar na recuperação diante da recessão da Covid-19.

O Departamento do Trabalho dos EUA disse nesta quinta-feira que a estabilidade em seu índice de preços ao consumidor no mês passado se seguiu a um avanço de 0,2% em setembro. No acumulado de 12 meses até outubro, o índice subiu 1,2%, após alta de 1,4% em setembro.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que o índice subisse 0,1% em outubro e avançasse 1,3% no comparativo anual.

(Por Lucia Mutikani)