Mercado abrirá em 8 h 12 min
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,35 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,43 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,60
    -0,16 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.786,40
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    23.854,55
    +537,10 (+2,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,39
    +14,52 (+2,67%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,07 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.228,71
    +182,94 (+0,91%)
     
  • NIKKEI

    27.971,20
    -278,04 (-0,98%)
     
  • NASDAQ

    13.214,75
    +31,50 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2117
    +0,0023 (+0,04%)
     

Preços de ações e bonds da Telecom Italia caem após Moody's rebaixar rating

Por Elvira Pollina

ROMA (Reuters) - As ações e os preços de bonds da Telecom Italia caíram nesta sexta-feira depois que a agência de classificação de risco Moody's rebaixou a nota de crédito do grupo pela segunda vez em quatro meses, derrubando ainda mais o rating da companhia - que já estava no chamado grau especulativo ("junk").

A Moody's cortou na quinta-feira o rating da Telecom Italia para 'B1' e reiterou perspectiva negativa, citando expectativas de que a alavancagem do grupo permaneça alta e o fluxo de caixa livre siga negativo nos próximos dois a três anos.

"O ambiente macroeconômico se deteriorou desde que rebaixamos o rating para Ba3 em março, reduzindo a visibilidade do desempenho operacional da Telecom Italia e sua esperada trajetória de desalavancagem", disse a Moody's.

As ações da Telecom Italia caíram nesta sexta-feira até 2,3%, para 0,2153 euro cada, perto de um piso histórico atingido na quinta-feira.

Os rendimentos dos bonds da empresa - que se movem inversamente ao preço - subiram ao longo da curva, com o título de vencimento em janeiro de 2033 rendendo 7,2%, acima dos 6,995% no fechamento anterior.

Com receitas e margens sob pressão há anos no competitivo mercado italiano, a Telecom Italia trabalha em uma reestruturação que tem como base a cisão de partes de seus negócios, enquanto se esforça para levantar caixa e reduzir dívida.

O plano depende principalmente de um potencial acerto com o banco estatal CDP, que quer fundir a infraestrutura de rede da Telecom Italia com a de sua rival Open Fiber para criar uma rede nacional unificada sob controle estatal.

O CDP, que é a segundo maior acionista da Telecom Italia, detém também 60% da Open Fiber.

A Telecom Italia e o CDP fecharam um acordo preliminar em maio e pretendem chegar a um acordo vinculante até outubro. Mas analistas alertaram que o colapso do governo local e as eleições antecipadas podem dificultar as negociações, que são delicadas por questões de avaliação financeira dos ativos e regulamentação.

Uma pessoa familiarizada com o assunto disse que o CDP poderia apresentar uma proposta não vinculante no final de agosto.

(Por Elvira Pollina)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos