Mercado fechado

Preço do petróleo cai por guerra de preços causada pela Arábia Saudita

A queda nos preços do petróleo está afetando as bolsas ao redor do mundo

Os valores do petróleo caíram cerca de 25% nesta segunda-feira (9), depois de a Arábia Saudita desatar uma guerra de preços com grandes reduções nos custos de seus barris.

O petróleo caiu 25% em Nova York e 24% em Londres.

O barril de WTI para entrega em abril fechou a 31,13 dólares, 10,15 dólares abaixo de seu fechamento na sexta-feira.

Em Londres, o Brent do Mar do Norte caiu 24% a 34,36 dólares o barril em seu pior dia desde 1991.

Na semana passada, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), liderada pela Arábia Saudita, e seus parceiros petroleiros, liderados pela Rússia, não conseguiram chegar a um acordo para reduzir a produção e sustentar os preços, em um contexto de queda da demanda pelo coronavírus.

A Rússia, segundo produtor mundial de petróleo e que não pertence ao cartel, negou-se a uma nova redução coletiva destes 23 países (a chamada OPEP+) de 1,5 milhão de barris por dia, como propunham os sauditas.

Consequentemente e após o fracasso das negociações, a Arábia Saudita decidiu no domingo pelo maior corte nos preços do barril em 20 anos.

Os sauditas cortaram, assim, entre 4 e 6 dólares o preço de seus barris para entrega em abril com destino à Ásia e em 7 dólares os destinados aos Estados Unidos, informou a Bloomberg.

A petroleira nacional Aramco reduziu ainda o barril de Arabian Light a um preço sem precedentes de 10,25 dólares, segundo a agência.