Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.320,41
    +302,13 (+0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Preço médio do diesel nos postos do Brasil bate nível pré-pandemia, diz Ticket Log

·2 minuto de leitura
Posto de combustíveis no Rio de Janeiro (RJ)

SÃO PAULO (Reuters) - O preço médio do diesel nos postos de combustíveis do Brasil avançou 2,1% na primeira quinzena de dezembro, atingindo nível superior ao de momentos que antecederam o choque causado pela pandemia de Covid-19, disse a Ticket Log nesta quarta-feira.

Segundo o índice de preços da companhia, o valor médio do diesel nos quinze primeiros dias do mês foi de 3,825 reais por litro. Em março, quando os primeiros efeitos da crise sanitária e econômica começaram a ser sentidos, o combustível custava, em média, 3,746 reais por litro.

Se comparado à maio, quando as cotações desceram às mínimas do ano diante dos impactos da pandemia, o preço médio do diesel --combustível mais consumido do Brasil-- apura alta de 18%, indicou a Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil.

O levantamento da companhia apontou que o preço médio mais caro do diesel comum foi registrado na região Norte, a 4,028 reais por litro, enquanto o valor mais baixo foi visto no Sul, com o litro custando, em média, 3,502 reais.

A pesquisa, realizada em 18 mil postos credenciados da Ticket Log, acompanha outros levantamentos que apontam para uma tendência de alta nos preços dos combustíveis no país.

Na véspera, a ValeCard afirmou que o preço médio da gasolina nos postos brasileiros subiu 1,7% na primeira quinzena e superou níveis pré-pandemia. Pesquisas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgadas às sextas-feiras, também têm demonstrado cenário de alta.

Enquanto isso, a Petrobras elevou, a partir desta quarta-feira, o preço do diesel em suas refinarias em 4%, enquanto a gasolina subiu 3%, em meio a um aumento no valor do petróleo no mercado internacional.

Os repasses dos reajustes da estatal aos consumidores finais, porém, não é imediato, dependendo de uma série de fatores, como margem de distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro.

(Por Gabriel Araujo)