Mercado fechará em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    111.661,20
    +751,59 (+0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.330,88
    +156,82 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,16
    +1,96 (+2,51%)
     
  • OURO

    1.766,90
    +3,20 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    16.883,41
    +503,38 (+3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,81
    +0,11 (+0,03%)
     
  • S&P500

    3.954,97
    -2,66 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.717,59
    -134,94 (-0,40%)
     
  • FTSE

    7.591,65
    +79,65 (+1,06%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.541,00
    +16,25 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4229
    -0,0337 (-0,62%)
     

Preço da gasolina sobe pela sexta semana seguida, diz ANP

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O preço da gasolina nos postos brasileiros subiu pela sexta semana consecutiva, segundo a pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). Na semana passada, o produto foi vendido, em média, a R$ 5,05 por litro.

É uma alta de 0,6% sobre o valor verificado na semana anterior. Desde o início da sequência de altas, pouco antes do segundo turno das eleições, o preço médio da gasolina no país subiu 5,4%, ou R$ 0,26 por litro.

A subida de preços reflete aumento nas cotações do etanol anidro, que é misturado à gasolina vendida nos postos. Desde o início de setembro, a Petrobras não mexe nos preços de venda de suas refinarias, que vinha sendo constantemente reduzido durante a campanha eleitoral.

A estatal passou semanas operando com defasagens em relação às cotações internacionais, mas os sinais foram invertidos na abertura do mercado desta segunda-feira, diante da queda das cotações internacionais do petróleo nos últimos dias.

Segundo a Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis), o preço médio da gasolina nas refinarias brasileiras está 3% acima da paridade internacional, ou R$ 0,08 por litro.

Também impactado pelas cotações nas usinas, o preço médio do etanol hidratado vem ficando mais caro nas bombas: na semana passada, o preço médio do produto subiu 1,3%, para R$ 3,84 por litro. Foi a sétima semana consecutiva de alta.

Já o preço do diesel caiu 0,3%, de acordo com a pesquisa da ANP. Na semana passada, o litro do combustível foi vendido no país, em média, a R$ 6,57.

Sem mudanças nas refinarias desde meados de setembro, o preço médio do diesel nas refinarias brasileiras está 6%, ou R$ 0,28 por litro, abaixo da paridade de importação, segundo a Abicom.

O preço do gás de cozinha ainda não trouxe grande reflexo do corte de 5,3% promovido pela Petrobras em suas refinarias na semana passada. Segundo a ANP, o botijão de 13 quilos foi vendido no país, em média, a R$ 110,19 na semana passada, valor apenas 0,2% inferior ao verificado na semana anterior.

A queda menos intensa dos preços dos combustíveis levou o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) a voltar a subir em outubro, após três meses de queda. Puxado pelos alimentos, o indicador oficial de inflação do país teve alta de 0,59% no mês passado.