Mercado fechará em 9 mins
  • BOVESPA

    111.307,61
    -765,94 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.298,48
    -720,43 (-1,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,71
    +0,30 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.931,40
    -11,40 (-0,59%)
     
  • BTC-USD

    24.081,45
    +1.025,40 (+4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    551,03
    +5,72 (+1,05%)
     
  • S&P500

    4.187,04
    +67,83 (+1,65%)
     
  • DOW JONES

    34.033,24
    -59,72 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.889,25
    +475,00 (+3,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4787
    -0,0757 (-1,36%)
     

Preço da gasolina cai 1,2% e volta a ficar abaixo de R$ 5 por litro

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O preço da gasolina caiu 1,2% nos postos brasileiros na semana passada e voltou a ficar abaixo de R$ 5 por litro, de acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). Foi a segunda semana de queda após um repique no início do ano.

Na semana passada, a gasolina foi vendida no país pelo preço médio de R$ 4,98 por litro, queda de R$ 0,06 em relação à semana anterior. É a primeira vez no ano que o produto é vendido abaixo de R$ 5 -chegou a bater R$ 5,12 por litro na primeira semana de 2023.

A ANP identificou também reduções nos preços do diesel e do etanol. O primeiro caiu 0,6%, para R$ 6,32 por litro. O segundo, 2,3%, para R$ 3,85 por litro. No início do ano, o preço médio do etanol chegou a superar os R$ 4.

Após tomar posse no dia 1º de janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou uma MP (medida provisória) que prorrogou a desoneração de tributos federais sobre combustíveis.

A decisão buscou impedir uma pressão inflacionária logo no começo do novo mandato, mas foi incapaz de evitar o aumento de preços no início do ano, o que gerou reclamações de motoristas.

A alta foi atribuída pelo governo a donos de postos que tentavam tumultuar o ambiente econômico após a posse de Lula.

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) abriu uma investigação sobre o aumento de preços no início de 2023. Já o secretário da Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor), Wadih Damous, disse que mandou notificar postos que praticaram reajustes na ocasião.

Mas houve também impacto do descongelamento dos preços de referência para o cálculo do ICMS (imposto estadual), que elevou os preços em alguns estados, principalmente para diesel e etanol.

O recuo nas bombas é visto como uma acomodação dos preços após os aumentos, já que a Petrobras não mexe nos valores de refinaria dos produtos há 48 dias. Houve também redução do preço de referência do ICMS em alguns estados.

De acordo com a ANP, o preço do gás de cozinha ficou praticamente estável na semana, em R$ 108,05 por botijão de 13 quilos, valor 0,2% inferior ao registrado na semana anterior.