Mercado abrirá em 3 hs
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,51
    +0,60 (+0,85%)
     
  • OURO

    1.861,10
    -18,50 (-0,98%)
     
  • BTC-USD

    39.160,68
    +3.309,77 (+9,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    975,21
    +33,40 (+3,55%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.163,95
    +29,89 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.030,00
    +35,75 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1947
    +0,0021 (+0,03%)
     

Preço da CHZ: o que esperar para 2021 com novas parcerias da Chiliz

·3 minuto de leitura

Apesar da Chiliz (CHZ) continuar o seu projeto de expansão em segmentos esportivos, seu token nativo caiu mais de 50% no mês de maio.

Após uma valorização surpreendente acima dos 4.000% no primeiro trimestre do ano, a CHZ entrou numa grande tendência de queda nos meses seguintes, apesar das novas parcerias que a Chiliz tem realizado com grandes instituições esportivas ao redor do mundo.

A criptomoeda chegou a desabar mais de 80% em relação à sua máxima histórica de US$ 0,87 no dia 12 de março. Atualmente, o ativo está sendo negociado em US$ 0,26.

Parcerias

A Chiliz continua expandindo cada vez mais as suas operações, se tornando uma referência na criação de tokens digitais voltados a esportes. Somente no mês de maio, a fintech realizou três parcerias com grandes ligas e instituições esportivas mundialmente conhecidas.

Ao longo do ano, há a expectativa ainda de a empresa abrir um novo escritório em São Paulo, algo que já foi aventado há meses. Recentemente, a companhia anunciou uma filial em Madrid para atender o mercado Europeu e também a América Latina, levantando a possibilidade da concretização de mais parcerias esportivas.

Por outro lado, os acordos fechados nas últimas semanas não foram suficientes para se sobrepor aos movimentos de mercado e levantar o preço do ativo CHZ, nativo da plataforma da Chiliz.

No dia 4 de maio, a empresa anunciou a criação do token do Ultimate Fighting Championship (UFC), maior liga de MMA do planeta. No entanto, neste dia, a CHZ acumulou uma queda de 7%.

No dia 14, mais um projeto envolvendo futebol, dessa vez com a emissão de fã tokens da seleção da Argentina. A empresa logo alertou para golpistas que tentavam aproveitar a procura pelo criptoativo para atrair vítimas. A demanda pela novidade, no entanto, não parece ter impactado no mercado da CHZ, que teve uma discreta alta de 2% nesta data.

ufc
ufc

Já no dia 20, a Chiliz voltou a virar destaque, após realizar uma parceria com a Aston Martin na criação do $AM, ativo digital destinado aos fãs da equipe de Fórmula 1. Apesar de uma alta de 25% vista na ocasião, o token nativo da fintech caiu mais de 40% nos dias seguintes.

Além disso, a Chiliz concretizou negócios com os times de futebol turco Aytemiz Alanyaspor e Bursaspor, além de uma equipe que compete na Nascar no mês de maio.

Por, ora, ao contrário dos tokens de torcedor que acompanham o sucesso de times de futebol, a CHZ ainda não parece conseguir aproveitar o embalo dos acordos comerciais da Chiliz.

CHZ pode voltar a subir?

A CHZ tem sido negociada dentro de um canal de baixa desde que atingiu a sua máxima histórica de preço. A moeda atingiu o fundo desse canal, de US$ 0,16, no dia 23 de maio.

Desde então, tem voltado a subir e, segundo o analista de criptomoedas Valdrin Tahiri, validou essa faixa de preço como um importante suporte. Ou seja, a partir daí ficaria mais difícil ver a moeda cair para abaixo desse patamar.

<a href="https://www.tradingview.com/symbols/CHZUSDT/?exchange=BINGBON" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:Gráfico no TradingView" class="link rapid-noclick-resp">Gráfico no TradingView</a>

Foi o que aconteceu nos dias seguintes. Desde então, a Chiliz opera em alta e chegou a valorizar próximo de 100%, atingindo US$ 0,31.

O analista aponta que os indicadores seguem apontando boas possibilidades de alta para a CHZ, apesar de ter voltado a recuar. A análise técnica mostra que o token precisaria ser negociado acima dos US$ 0,40 – metade do canal de baixa – para que tenha boas chances de buscar topos ainda maiores.

No fechamento da matéria, a CHZ era negociada a pouco mais de US$ 0,23.

O artigo Preço da CHZ: o que esperar para 2021 com novas parcerias da Chiliz foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.