Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.512,38
    +480,41 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.801,68
    +163,32 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,13
    -2,28 (-2,55%)
     
  • OURO

    1.790,40
    -7,70 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    23.943,67
    -128,25 (-0,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,15
    -2,76 (-0,48%)
     
  • S&P500

    4.305,20
    +8,06 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.152,01
    +239,57 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,34 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.663,50
    -17,75 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2307
    +0,0522 (+1,01%)
     

Preço do aço se recupera, mas minério de ferro vacila com problemas de demanda da China

Trabalhador de siderúrgica na China

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros do aço na China subiram nesta terça-feira, impulsionados pelos esforços do governo chinês para aliviar a crise financeira no problemático setor imobiliário local, mas os preços do minério de ferro caíram devido a preocupações persistentes com a queda na demanda pelo ingrediente siderúrgico na maior produtora mundial de aço.

O setor imobiliário da China, que responde por cerca de um quarto da demanda doméstica por aço, tem estado sob os holofotes em meio a um boicote crescente ao pagamento de hipotecas sobre projetos imobiliários inacabados.

Os reguladores chineses intensificaram esforços para incentivar os credores a conceder empréstimos a projetos qualificados, agindo para aliviar uma turbulência que pode sobrecarregar uma economia já duramente atingida pelos lockdowns da Covid-19.

O vergalhão de aço para construção na Bolsa de Futuros de Xangai encerrou as negociações em alta de 1,7%, a 3.774 iuanes (559,37 dólares) a tonelada. O fechamento ficou bem abaixo da máxima da sessão de 3.872 iuanes, mas estendeu uma recuperação ante a mínima de 19 meses alcançada na sexta-feira.

A bobina laminada a quente, usada em carrocerias de automóveis e eletrodomésticos, subiu 1,4%, para 3.755 iuanes por tonelada, recuperando-se de uma baixa de 20 meses.

O aço inoxidável subiu 0,1%.

Mas os preços futuros das matérias-primas siderúrgicas caíram, uma vez que as perspectivas gerais para a demanda de aço da China permanecem obscurecidas pelos riscos da Covid-19 e pelo mau tempo.

O contrato de minério de ferro para agosto na Bolsa de Cingapura caiu 2,5%, para 98,20 dólares a tonelada, enquanto o contrato mais negociado de setembro do produto em Dalian caiu 1%, para 656,50 iuanes por tonelada.

(Por Enrico Dela Cruz em Manila)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos