Mercado fechará em 4 h 8 min
  • BOVESPA

    103.528,18
    +1.612,73 (+1,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.027,78
    +329,06 (+0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,39
    +2,21 (+3,34%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +11,60 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    58.439,39
    +260,50 (+0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.493,31
    +24,23 (+1,65%)
     
  • S&P500

    4.617,40
    +50,40 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,72
    +232,00 (+0,67%)
     
  • FTSE

    7.132,98
    +73,53 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.293,50
    +143,00 (+0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3850
    +0,0150 (+0,24%)
     

Praga asiática é vista pela primeira vez no Brasil

·1 min de leitura

Em novembro do ano passado, um percevejo da espécie Ethersina fullo foi encontrado em Santos, no litoral de São Paulo. Descobriu-se, após uma publicação nas redes sociais, que consistia de uma espécie de origem asiática, considerada inclusive como uma praga no continente.

A publicação foi feita originalmente pelo estudante de biologia Yan Lima (26) na plataforma iNaturalist, voltada à ciência. Ao deparar-se com a imagem do percevejo, o mestre em biologia animal pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Ricardo Brugnera solicitou que o autor da postagem coletasse um indivíduo da espécie para futuras análises. Os dois então montaram um grupo de estudos.

Os pesquisadores suspeitam que o percevejo chegou ao país por contêineres, pelo Porto de Santos. A espécie se alimenta de plantas e causa danos econômicos a plantações de kiwi, pêra, pêssego, maçã e romã na China. O animal também costuma ser encontrado na Nova Zelândia e na Albânia.

Estima-se que o percevejo pode se adaptar facilmente ao Brasil, pela diversidade de plantas cultivadas e pelo clima tropical, considerando que a temperatura mais elevada contribui para a reprodução adequada, já que ele não precisa hibernar. A prefeitura de Santos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Ministério da Agricultura já foram notificados, e a espécie inédita no Brasil está sendo investigada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos