Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,99
    -0,72 (-1,58%)
     
  • OURO

    1.816,10
    +4,90 (+0,27%)
     
  • BTC-USD

    17.386,78
    +312,41 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    340,20
    -30,32 (-8,18%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.567,13
    +29,82 (+0,11%)
     
  • NASDAQ

    12.158,00
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3417
    +0,0018 (+0,03%)
     

Prévia da inflação oficial fica em 0,3% em julho, diz IBGE

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,3% em julho deste ano. A taxa é superior ao 0,02% do IPCA-15 de junho deste ano e do 0,09% de julho do ano passado. O dado foi divulgado hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com isso, o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 0,67% no ano e de 2,13% no período de 12 meses.

O principal impacto na prévia da inflação em julho veio do setor de transportes, que teve alta de preços de 1,11%, depois de quatro meses em queda, puxada pelos combustíveis. Entre os produtos que tiveram inflação no período estão gasolina (4,47%), etanol (4,92%) e óleo diesel (2,50%). A tarifa do metrô também subiu (2%).

Segundo o IBGE, outros grupos de despesa com inflação foram habitação (0,50%), artigos de residência (0,68%), saúde e cuidados pessoais (0,40%) e comunicação (0,46%).

Por outro lado, quatro grupos de despesa tiveram deflação (queda de preços) no período, com destaque para vestuário (-0,91%). Também tiveram deflação os setores de alimentação e bebidas (-0,13%), despesas pessoais (-0,23%) e educação (-0,07%).

Ouça na Radioagência Nacional: