Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    123.360,18
    +1.559,39 (+1,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.012,51
    +144,19 (+0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,27
    -2,68 (-3,62%)
     
  • OURO

    1.819,50
    +2,30 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    39.690,07
    -1.172,43 (-2,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    971,93
    +11,04 (+1,15%)
     
  • S&P500

    4.396,33
    +1,07 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.914,75
    -20,72 (-0,06%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    14.990,00
    +34,25 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1182
    -0,0698 (-1,13%)
     

Powell é questionado sobre inflação e regulamentação em audiência no Senado

·2 minuto de leitura
Jerome Powell, chair do Fed, em audiência no Senado dos EUA

Por Howard Schneider e Ann Saphir e Jonnelle Marte

(Reuters) - O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, enfrentou duras perguntas sobre inflação e regulamentação bancária em audiência no Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos nesta quinta-feira, temas que provavelmente estão "no front" de sua possível renomeação para a posição mais alta do Fed.

Powell fez a mesma promessa de "apoio poderoso" para ajudar na recuperação econômica dos EUA que fez na quarta-feira ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados, uma indicação de que ele não vê necessidade de apressar a retirada do apoio monetário devido ao salto recente na inflação.

Os republicanos no painel, no entanto, deram continuidade à interrogação feita por seus colegas da Câmara, questionando Powell sobre se a forte aceleração da inflação será temporária, como o Fed espera, ou não.

"O paradigma atual do Fed quase garante que o Fed ficará para trás", ao manter a inflação ancorada na meta média de 2% do banco central, disse o republicano Pat Toomey, da Pensilvânia. As compras mensais de 120 bilhões de dólares em títulos pelo banco central, principalmente em títulos lastreados em hipotecas, "são intrigantes", acrescentou, em um momento em que os preços das casas estão disparando.

Os comentários de Toomey e de outros republicanos destacaram o desafio político que o Fed está cortejando com uma nova posição que visa permitir a inflação acima de sua meta formal de 2% "por algum tempo", a fim de compensar anos de inflação fraca no passado e permitir mais espaço para o crescimento do emprego.

UM PAR DE PROBLEMAS

Os democratas, por outro lado, se concentraram na gestão de Powell da supervisão bancária e no que consideram um enfraquecimento das regulamentações para as maiores instituições financeiras.

O presidente democrata do painel, Sherrod Brown, em sua declaração de abertura e em perguntas a Powell, argumentou que o banco central ajudou a alimentar os dividendos dos bancos e recompra de ações às custas do investimento na economia real.

"O Fed revogou importantes salvaguardas, tornando mais fácil para os bancos aumentarem o preço de suas ações", disse Brown.

"Nos últimos quatro anos, vejo um movimento após o outro para enfraquecer a regulamentação dos bancos de Wall Street, e isso me preocupa", disse a democrata Elizabeth Warren, uma de 13 senadores que votaram contra a confirmação de Powell para seu primeiro mandato em 2018.

Powell rebateu, dizendo sentir que o nível de capital que os bancos atualmente devem separar, e que, portanto, está indisponível para dividendos ou outros pagamentos, é "basicamente correto".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos