Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.228,71
    +2.590,42 (+5,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Postos da Argentina limitam gasolina barata aos brasileiros

·2 min de leitura
Hand of man fueling up a vehicle with a yellow gas pump.
Medida foi tomada devido às longas filas e desabastecimentos no país vizinho

(Getty Images)

  • Autoridades argentinas limitaram o fornecimento de combustível aos brasileiros 

  • Postos só poderão vender 15 litros por carro estrangeiro ao dia 

  • Litro por R$ 3,15 está chamando a atenção de quem faz fronteira com o país

As autoridades argentinas de Puerto Iguazú começaram a limitar o fornecimento de combustível aos brasileiros que cruzam a fronteira com o Paraná para abastecer os veículos. Nesta quarta-feira (3), ficou decidido que só poderão ser vendidos 15 litros da gasolina por carro estrangeiro ao dia.

A medida foi tomada após os postos começarem a enfrentar desabastecimento e longas filas devido à procura pelo combustível por parte dos brasileiros, já que o valor médio do litro está na faixa dos R$ 3,15. Com a falta do produto, os argentinos tiveram dificuldades para reabastecer seus veículos.

Leia também:

"Estamos tentando aumentar a produção, mas lamentavelmente temos uma cota de abastecimento. Ou seja, não nos permitem mais do que uma certa quantidade de combustível, porque o preço está muito baixo, e o barril do petróleo subiu para 80 dólares e aqui mantemos a 60 dólares", explicou o representante da Câmara de Combustíveis de Missiones, Faruk Jalaf.

Os postos também têm feito filas especiais para moradores e estrangeiros, de forma a organizar o atendimento.

Segundo a mídia local, outras cidades já passam pela mesma situação de Puerto Iguazú, como Bernardo de Yrigoyen, que faz fronteira com o Paraná e Santa Catarina.

Enquanto o Brasil enfrenta altas nos preços dos combustíveis, já que o valor varia de acordo com a cotação do petróleo no mercado internacional, a Argentina segue com os preços congelados pelo governo do presidente Alberto Fernández. Por aqui, o preço médio do litro chega a R$ 7,14 em algumas regiões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos