Mercado abrirá em 12 mins
  • BOVESPA

    106.924,18
    +1.236,18 (+1,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.579,90
    +270,60 (+0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,94
    -0,55 (-0,50%)
     
  • OURO

    1.804,00
    -4,20 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    29.872,36
    -441,07 (-1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,98
    -11,12 (-1,63%)
     
  • S&P500

    4.023,89
    +93,81 (+2,39%)
     
  • DOW JONES

    32.196,66
    +466,36 (+1,47%)
     
  • FTSE

    7.428,26
    +10,11 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    +51,44 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    26.547,05
    +119,40 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.395,00
    +12,25 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3187
    +0,0596 (+1,13%)
     

Posto de gasolina é condenado a pagar R$ 1 mil após acusar cliente de furar fila

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Bomba de gasolina
Caso aconteceu no Distrito Federal

(Getty Images)

  • Posto de gasolina é condenado a indenizar cliente em R$ 1 mil;

  • Mulher foi acusada de furar fila e começou a chorar após ter atendimento negado;

  • Sentença aponta que ela aguardou sua vez no estabelecimento.

Um posto de gasolina terá que pagar R$ 1 mil em indenização por danos morais a uma cliente acusada de furar fila ao tentar abastecer seu carro. O caso aconteceu no Distrito Federal e o estabelecimento é de responsabilidade da empresa Cascol Combustíveis Para Veículos Ltda.

Conforme a sentença do 1º Juizado Especial Cível do Paranoá, do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), a consumidora aguardou sua vez na fila, mas ao chegar na bomba de abastecimento, os frentistas se recusaram a atendê-la.

Ela, então, teria começado a chorar e a implorar que seu veículo fosse abastecido ao longo de dez minutos, até que um outro cliente intercedeu e pediu para que o gerente liberasse o serviço. As informações são do portal Metrópoles.

Conforme a decisão do juiz Waldir da Paz Almeida, tomada na última sexta-feira (22), o Código do Consumidor “veda expressamente ao fornecedor a recusa às demandas dos consumidores na exata medida de suas disponibilidades, e à prestação de serviços diretamente a quem se disponha adquiri-los mediante pronto pagamento”.

O posto negou que qualquer irregularidade tenha acontecido e poderá recorrer contra a sentença.

Combustível adulterado

Em março, um outro posto do Distrito Federal foi condenado a indenizar uma cliente no valor de R$ 470 após abastecer o carro dela com gasolina adulterada.

Segundo o processo, obtido pelo portal Metrópoles, ela teria gastado R$ 100 em combustível no Metro Comercial de Combustíveis, em junho de 2021. Após uma hora, o veículo começou a apresentar problemas no sistema de injeção.

O laudo de um mecânico especializado confirmou que o combustível de má qualidade foi o responsável pelo problema. A cliente desembolsou R$ 260 para consertar o carro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos