Mercado fechado

‘Possuir’ roupas vai sair de moda, dizem especialistas

Claire Ballentine

A tendência predominante entre fashionistas em 2020 não será a obsessão em comprar roupas mais modernas. Segundo especialistas em moda, as pessoas estarão mais interessadas em ter acesso às peças.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

“O mundo da moda se apoia em um mito”, disse Jennifer Hyman, cofundadora e presidente da empresa de aluguel de roupas Rent the Runway. Segundo ela, a indústria só funciona caso convença o consumidor “a comprar cada vez mais coisas de que não precisa. Estou dizendo que o orgulho da posse está morto, e o orgulho do acesso é o novo luxo.”

Leia também

Hyman falou sobre o futuro da sustentabilidade da moda durante palestra na quinta-feira que também contou com a presença da fundadora do Fair Fashion Center, Cara Smyth, e de Matt Scanlan, cofundador e CEO da Naadam. O evento fez parte da segunda cúpula anual The Year Ahead: Luxury, organizada pela Bloomberg na sede da empresa em Manhattan. Entre os palestrantes estavam o CEO da Tiffany, Alessandro Bogliolo, o arquiteto Robert A.M. Stern e a chef de confeitaria Christina Tosi, além de executivos da Porsche, Virtuoso e Marriott.

Uma convergência de tendências - como o entusiasmo para limpar armários despertado por Mari Kondo, a crescente preocupação com o impacto da mudança climática e a crescente preferência por apartamentos urbanos - tornou consumidores millennials mais conscientes do acúmulo de coisas em casa, disse Hyman.

A maioria das pessoas quase nem toca as roupas que têm no armário, disse Hyman, mas um dos benefícios do modelo de acesso para o vestuário é poder gerar dados sobre o tipo de roupa que as pessoas vestem e quais materiais são mais duráveis para reutilização e lavagem.

“Podemos, dessa forma, voltar aos nossos parceiros de design e ajudá-los a fabricar produtos mais sustentáveis ​​no futuro”, disse Hyman. A Rent the Runway observa mais empresas imitando seu modelo: startups, designers e marcas que visam ajudar as pessoas a ter acesso a roupas, desde empresas que oferecem serviços de assinatura, como Stitch Fix e Le Tote, até a startup de aluguel de roupas Armoire, de Seattle. A Rent the Runway tem uma parceria com a Nordstrom para facilitar a coleta e devolução.

Esse tipo de colaboração será a próxima grande tendência da moda sustentável, prevê Smyth, do Fair Fashion Center. “Haverá um acordo no meio de novos modelos de negócios”, disse. “Tem que ser uma abordagem colaborativa.”