Mercado abrirá em 4 h 59 min
  • BOVESPA

    119.371,48
    -690,52 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.092,31
    +224,69 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,91
    +0,48 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.783,60
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    48.052,88
    -6.472,69 (-11,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.085,44
    -157,62 (-12,68%)
     
  • S&P500

    4.134,98
    -38,44 (-0,92%)
     
  • DOW JONES

    33.815,90
    -321,41 (-0,94%)
     
  • FTSE

    6.919,83
    -18,41 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    29.025,49
    +270,15 (+0,94%)
     
  • NIKKEI

    29.020,63
    -167,54 (-0,57%)
     
  • NASDAQ

    13.776,25
    +26,00 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5540
    +0,0124 (+0,19%)
     

Possível manipulação em competições de CSGO está sendo investigada pelo FBI

Felipe Demartini
·2 minuto de leitura

Um suposto esquema de manipulação de partidas de Counter-Strike: Global Offensive virou tema de investigação federal. O FBI está investigando a possível trapaça envolvendo etapas norte-americanas da Mountain Dew League (MDL), com times recebendo suborno de serviços de apostas esportivas para gerar resultados determinados pelos envolvidos, com o objetivo de gerar lucros maiores.

O inquérito foi revelado por Ian Smith, líder da Comissão pela Integridade dos eSports (ESIC, na sigla em inglês), uma organização independente que atua desde 2016 com o intuito de investigar práticas danosas nesse segmento. De acordo com ele, a investigação federal também conta com o apoio de polícias locais e foi iniciada por um pedido da entidade, já que a prática estaria acontecendo há um bom tempo.

O período exato da suposta farsa, porém, não foi divulgado, assim como mais detalhes sobre times, partidas e organizações envolvidas. Smith revelou apenas se tratar de uma ocorrência “clássica” de combinação de resultados, que funciona de forma organizada a partir de um grupo pequeno, mas significativo, de jogadores com foco em ligas norte-americanas como a MDL. O torneio é o único citado, mas a longevidade do suposto esquema dá a entender que mais competições podem ter sido manipuladas desta maneira.

Ainda segundo o comissário da ESIC, o FBI apenas recentemente começou a olhar com atenção para o problema das trapaças em partidas de eSports, com uma recém-inaugurada força-tarefa voltada para investigações desse tipo. Smith aponta que esse nunca foi realmente um problema nos Estados Unidos até agora, enquanto, na Austrália, onde a organização está sediada, esse tipo de manipulação já é tratada como crime.

As primeiras iniciativas desse tipo no país de origem, inclusive, devem ter resultados divulgados em breve, segundo o representante, com indiciamentos a serem divulgados nas próximas semanas. Smith, porém, diferenciou a questão dos EUA, ainda incipiente, daquela encontrada no ano passado na Austrália, com um grande escândalo envolvendo dezenas de jogadores e times, além de um sistema estabelecido entre as equipes e os sites de apostas esportivas.

Por lá, o escândalo envolveu mais de 40 jogadores, que chegaram a apostar contra ou a favor de seus próprios times, manipulando os resultados a partir das atuações individuais de forma a maximizar o ganho financeiro. As investigações levaram a banimentos temporários ou permanentes dos atletas em competições oficiais de CS:GO além de, na visão de Smith, terem chamado atenção para ocorrências semelhantes em outras partes do mundo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: