Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,01
    -0,12 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.869,70
    +3,80 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    30.681,67
    0,00 (0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    608,80
    -71,11 (-10,46%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,74 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    13.384,75
    -10,75 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5084
    0,0000 (0,00%)
     

Possível encontro de Trump e Xi em Iowa leva entusiasmo a pequena cidade nos EUA

Por Andrea Shalal
.

Por Andrea Shalal

WASHINGTON (Reuters) - A sugestão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que pode assinar um acordo comercial com o presidente chinês, Xi Jinping, em Iowa gerou uma onda de entusiasmo em Muscatine, uma cidade às margens do rio Mississipi, que já recebeu Xi duas vezes desde 1985.

Xi ganhou a chave da cidade, de 24 mil habitantes, durante sua primeira visita, quando liderou um grupo de estudos agrícolas e se hospedou na casa de uma família local. Ele também se encontrou e fez amizade com o então governador Terry Branstad, hoje embaixador de Trump em Pequim.

Xi retornou ao local em meio a muito alarde em 2012, quando ocupava a vice-presidência chinesa, visitando a casa que o recebeu anos antes e se reunindo com uma dezena de "velhos amigos" -- pessoas que havia conhecido nos anos 1980.

Esses eram tempos mais esperançosos nas relações entre EUA e China, antes de Trump iniciar uma ampla guerra tarifária e o secretário de Estado norte-americano afirmar que o Partido Comunista de Xi é "verdadeiramente hostil aos EUA e a nossos valores".

Agora, negociadores comerciais dos dois países se apressam para completar o texto de um acordo de "fase um", que pode interromper a guerra comercial que já dura 16 meses. As tarifas tiveram um impacto gigantesco sobre os agricultores de Iowa, grande exportadora de soja.

Na semana passada, Trump declarou que esperava assinar o acordo com Xi em uma localidade nos EUA, talvez Iowa. O local ainda está sendo analisado, mas uma autoridade chinesa já afirmou que Xi está disposto a viajar aos EUA.