Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +997,93 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,73
    +1,75 (+2,19%)
     
  • OURO

    1.813,30
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    17.209,96
    +255,68 (+1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    407,42
    +6,00 (+1,49%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,88 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,05 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.823,09
    +45,19 (+0,16%)
     
  • NASDAQ

    12.000,75
    -9,50 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4984
    +0,0044 (+0,08%)
     

Possível aglomerado galáctico estava "escondido" atrás da Via Láctea

Uma equipe de pesquisadores liderada por Daniela Galdeano, astrônoma da Universidade Nacional de San Juan, na Argentina, descobriu evidências de uma nova grande estrutura extragaláctica. A formação parece ser um aglomerado galáctico extremamente massivo, encontrado “escondido” atrás de parte da Via Láctea.

Os cientistas já sabem que parte do céu noturno é escura por causa do bojo da nossa galáxia, formado por estrelas que orbitam o buraco negro supermassivo ali. Juntas, as estrelas, poeira e gás do plano galáctico bloqueiam a visão. Esta região “oculta” é conhecida como “zona de evasão” (ZoA) e forma cerca de 10% do céu noturno. Para descobrir o que pode existir atrás dela, os autores trabalharam com diferentes ferramentas.

Imagem da região que indica o possível aglomerado galáctico (Imagem: Reprodução/Daniela Galdeano)
Imagem da região que indica o possível aglomerado galáctico (Imagem: Reprodução/Daniela Galdeano)

Eles uniram todos os dados já coletados sobre a área e, depois, adicionaram novas informações obtidas com o VVV Survey. Trata-se de um projeto apoiado pelo Observatório Europeu do Sul (ESO), que vem estudando estrelas por meio das emissões na luz infravermelha, capaz de atravessar o gás e poeira no bojo galáctico.

Ao estudar as imagens na luz infravermelha, os pesquisadores identificaram algumas galáxias bem além da Via Láctea. Os dados sugerem que, juntas, elas compõem uma estrutura extragaláctica com até 58 galáxias, mas novas observações são necessárias para definir a massa e as características dos objetos ali.

Dante Minniti, coautor do estudo, observa que é extremamente difícil encontrar galáxias atrás do plano galáctico devido à poeira ali, que escurece a visão. “Suspeitamos da presença da estrutura, mas como esta era uma ‘região cega’ antes, a descoberta do novo aglomerado de galáxias foi uma ótima confirmação”, disse.

A descoberta do possível aglomerado representa um passo importante para entender o que há “atrás” da Via Láctea, mas também traz novas perguntas. É que, além dos aglomerados galácticos ocultos, a ZoA contém também o chamado “Grande Atrator”, uma anomalia gravitacional que vem trazendo galáxias e aglomerados para si. Ainda não se sabe o que causa esta atração.

O artigo com os resultados do estudo será publicado na revista Astronomy & Astrophysics e pode ser acessado no repositório online arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: