Mercado fechado

Coronavírus: por que seu cabelo está caindo durante a quarentena

As mulheres estão perdendo o cabelo durante o isolamento do coronavírus. Foto: Getty Images

O coronavírus tem muito pelo que responder - centenas de milhares de mortes, países parando para praticar confinamento e inúmeras pessoas perdendo seus empregos em todo o mundo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Mas não só isso, também vemos alguns efeitos colaterais sérios nas pessoas, pois o mundo ainda tem que lidar com os problemas de saúde mental decorrentes do isolamento do COVID-19, tendo que se adaptar ao 'novo normal'.

Leia também

E agora, as pessoas estão relatando que estão perdendo o cabelo durante o isolamento, vendo tufos caindo na hora do banho ou se prendendo nas escovas de cabelo. Conversamos com os especialistas para descobrir quais podem ser as razões por trás disso e como você pode minimizar a perda de cabelo.

Estresse

“Um evento importante, como uma pandemia, pode levar a um alto nível de estresse. E ele pode limitar ou até interromper o crescimento do cabelo”, disse a cabeleireira e co-fundadora da marca de suplementos de cabelo AÉDE, Ruth Robalino, ao Yahoo Vida & Estilo.

"Quando seu corpo enfrenta um estresse extremo, é compreensível que ele reaja a isso e, nesse caso, pode resultar em perda de cabelo ou os fios se quebrando de forma excessiva".

Isso pode acontecer de duas formas, uma chamada eflúvio telógeno, quando o cabelo se move prematuramente para sua 'fase de repouso', interrompendo o crescimento e potencialmente causando manchas calvas, ou alopecia areata, que é quando o sistema imunológico ataca os folículos capilares, causando uma grande queda dos fios.

O estresse pode ser uma razão para a perda de cabelo. Foto: Getty Images

A especialista em Tricologia, Megan Wright, concorda, dizendo que atua na área há dez anos e nunca viu tantos casos de perda de cabelo relacionados ao estresse. "A pandemia certamente deixou sua marca em algumas pessoas que têm predisposição genética para doenças como alopecia areata e psoríase", disse ela ao Yahoo Vida & Estilo.

"Recentemente, muitos dos meus pacientes apresentam sinais de queda de cabelo e é esperado que os números cresçam no futuro próximo, porque geralmente qualquer perturbação no sistema imunológico levará até três meses para se apresentar nessas condições".

O que você pode fazer para minimizar a perda de cabelo

"Sabemos que os níveis de estresse podem contribuir para a queda de cabelo, quebra dos fios e muitas outras condições de saúde", disse Megan.

“No entanto, existem cuidados que as pessoas podem tomar para ajudar, como alternativas naturais aos produtos farmacêuticos disponíveis para queda de cabelo, entender como nosso estilo de vida e estado emocional podem desempenhar um papel enorme na saúde de seus cabelos e couro cabeludo e que, em grande parte, em alguns casos, a perda de cabelo pode ser minimizada com a investigação e o tratamento adequados”, afirmou.

O que mais pode desencadear a queda de cabelo?

Jane Mayhead, tricologista da The Private Clinic of Harley Street, disse à Cosmopolitan que, embora isso facilite nossa vida, lavar menos o cabelo enquanto estamos de quarentena pode levar a uma maior perda de cabelo.

“A razão para isso é simplesmente que o cabelo cai diariamente, mas em quantidades variadas. Os fios que caem podem acabar se enrolando nos fios ainda saudáveis e, quando você lava o cabelo, caem todos juntos, principalmente com o uso de condicionadores que deixam os cabelos escorregadios e desembaraçados”, disse ela.

Se você acha que vale a pena conferir melhor a razão do seu problema de queda, fale com o seu médico. Foto: Getty Images

De acordo com Anthony Pearce, especialista em Medicina Integrativa em Tricologia da Anthony Pearce Trichology, as mulheres não devem descartar a perda de cabelo como sintoma, pois isso pode ser um indicativo de um problema de saúde subjacente.

“A perda de cabelo em uma mulher é um indicador de distúrbio ou deficiência subjacente. É algo que precisa ser investigado”, disse ele à Mamamia.

"Se uma mulher tem baixos níveis de ferro, vitamina D, vitamina B e iodo, ou se os níveis de insulina estão baixos, isso modifica a função da sua tireoide e não será necessário, por exemplo, uma situação estressante, para desencadear o problema".

"Se você tem pouco ferro e seu corpo precisa desse ferro para lidar com a função hepática, ele não vai se preocupar com o seu cabelo, mas sim com as suas prioridades. Da mesma forma, os folículos capilares serão os últimos a se recuperar”.

Sarah Carty