Mercado abrirá em 1 h 37 min

Por uso excessivo do celular, mulher perde temporariamente a visão de um olho

Rafael Arbulu

Uma mulher na China perdeu temporariamente a visão no olho esquerdo após usar o smartphone para jogar durante toda a madrugada, de acordo com relatos reunidos pela Fox News. Seu nome não foi divulgado, mas segundo o médico que a tratou, o problema foi um stress excessivo que resultou em um vaso estourado, efetivamente criando bolsas de sangue que lhes bloqueavam a vista.

“A paciente ficou acordada a noite toda, jogando em seu aparelho móvel”, disse o Dr. Qiu Wangjian, médico do Songgang People’s Hospital e que tratou da mulher. “Na manhã seguinte, ela acordou, pegou o telefone e começou a usá-lo de novo. Cerca de cinco minutos depois, ela descobriu que estava incapaz de enxergar por meio do olho esquerdo. Ela não via nada”.

Um tratamento a laser criou um pequeno buraco na retina da paciente, permitindo que o sangue escoasse e a visão dela fosse restaurada. “Era importante que nós a tratássemos rapidamente para que ela não sofresse nenhum efeito colateral a longo prazo, disse Wangjian.

Imagem mostrando o vaso estourado da paciente: a mancha mais escura consiste de sangue barrando a visão dela, devido ao uso contínuo e excessivo do smartphone (Imagem: Reprodução/AsiaWire)

O uso excessivo do smartphone em ambientes noturnos — ou escuros, cuja única fonte de luz é a tela do aparelho — já tem diversas documentações e estudos catalogando-o como danoso aos olhos. Segundo um estudo da Universidade de Toledo, a chamada “luz azul” não apenas pode causar o mesmo problema vivido pela mulher chinesa (conhecido como “retinopatia por Valsalva”), mas também é atribuído como o principal fator de origem para moléculas venenosas, que podem levar à degeneração macular.

Casos de problemas da vista podem ser rastreados ao uso excessivo de smartphones. Sintomas como insônia, secura dos olhos, dores de cabeça e cansaço ocular, todos trazem relação com o uso contínuo dos celulares. Hoje em dia, diversos modelos contam com uma espécie de “filtro de luz azul”, a fim de atenuar os sintomas sofridos. Mas, claro, ninguém conta com alguém usando o display ininterruptamente para jogar no aparelho por horas e horas a fio.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: