Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.867,68
    -1.926,46 (-3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Por R$14,90, Livraria Cultura lança serviço de assinatura de livros

·1 minuto de leitura
Livraria Cultura entra em recuperação judicial
Livraria Cultura entra em recuperação judicial
  • Cultura Pass permitirá o empréstimo ou a compra do livro;

  • Serviço faz parte do plano de recuperação judicial da empresa;

  • Momento do mercado é oportuno, com crescimento de 48,5% em relação ao período anterior.

Chamado de Cultura Pass, o clube de assinatura é apenas um dos elementos no plano de reestruturação da empresa. Por 14,90 ao mês, o cliente poderá levar qualquer livro para casa. Caso devolva o livro dentro de 30 dias, poderá pegar outro. Se gostar muito e preferir ficar com a obra, pagará o valor inteiro com um desconto de 20%.

Além do serviço de assinaturas, a Cultura também criará o Sebo Cultura, uma divisão que contará com livros usados. “Queremos os livros que estão parados nas estantes das pessoas”, diz Sergio Herz, presidente da Cultura.

Leia também:

Tudo isso faz parte do atual plano de recuperação judicial da empresa. A Cultura, que desde 2015 apresenta problemas financeiros, teve de refazer seu plano de recuperação devido à pandemia. Para Herz, enfim, a empresa encontrou um modelo que permitirá operar no azul.

Aliado ao plano, a rede também confia no atual momento do mercado para impulsionar seu crescimento. De acordo com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), o setor cresceu 48,5% em volume e 40% em receita no primeiro semestre deste ano em comparação ao ano passado.

Outro ponto importante da reestruturação da rede foi a implantação do sistema automático de pagamentos. Em seu mau período financeiro, a Cultura deixou de pagar diversas editoras, que por consequente, pararam de fornecer à livraria. Com o sistema automático, o pagamento deverá ocorrer no momento da venda.

As editoras, segundo uma fonte, embarcaram junto ao plano de recuperação da companhia, que pediu cerca de 80% de desconto nos pagamentos. “Acho que ninguém tem esperança de receber os atrasados de Cultura e Saraiva”, afirmou a fonte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos