Mercado fechará em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    108.849,83
    +1.020,10 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.835,79
    -499,72 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,80
    +0,66 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.887,70
    +2,90 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    22.804,82
    -129,38 (-0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    525,66
    -11,23 (-2,09%)
     
  • S&P500

    4.130,50
    -33,50 (-0,80%)
     
  • DOW JONES

    34.054,42
    -102,27 (-0,30%)
     
  • FTSE

    7.893,37
    +28,66 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.578,75
    -198,00 (-1,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6127
    +0,0356 (+0,64%)
     

Por que os planetas são redondos?

Você já se perguntou por que os planetas são redondos? Se sim, saiba que a resposta está na gravidade, que exerce sua força do centro à parte externa dos planetas, moldando-os no formato esférico.

Considere o Sistema Solar: seus oito planetas oficiais têm diferentes tamanhos, distâncias do Sol e composições, mas todos nasceram de uma única origem.

Quando o Sistema Solar estava em formação, a gravidade uniu bilhões de partículas de poeira e gás e os agrupou em estruturas que cresceram gradualmente. Ali, nasciam os planetas que formam nossa vizinhança. A força da colisão destes pedacinhos de matéria fez com que os mundos “bebês” ficassem quentes e com interior derretido, e depois, eles começaram a tomar forma esférica.

Mas explicamos tudo isso mais a fundo nas linhas abaixo!

Planetas são sempre esféricos?

Como mencionamos acima, a força da gravidade é a “culpada” pelo formato esférico dos planetas. Ela é uma força gerada por tudo que tem massa, e sempre atrai a matéria em todas as direções. Quando esta matéria é agrupada, ela dá origem a uma forma que se mantém também em todas as direções.

A gravidade "puxa" a estrutura dos planetas em todas as direções, desde o centro até a parte externa (Imagem: Reprodução/NASA)
A gravidade "puxa" a estrutura dos planetas em todas as direções, desde o centro até a parte externa (Imagem: Reprodução/NASA)

Quando os planetas estão em formação, eles são feitos de material líquido e extremamente quente. Como a gravidade sempre atrai a matéria para o centro da massa, ela “força” a matéria que forma o planeta a se agrupar igualmente em todas as direções. Eis que surge, então, uma esfera.

Depois, conforme os novos mundos são esfriados, eles mantêm seus formatos — como você vê nos planetas do Sistema Solar, por exemplo. Observe, no entanto, que isso não significa que os planetas sejam esferas perfeitas, já que alguns são mais e outros menos redondos.

A Terra é redonda?

Você dificilmente encontrará algo na natureza que seja uma esfera matematicamente perfeita, e isso se aplica também para a Terra, que tem formato geoide.

Isso significa que nosso planeta é levemente achatado nos polos e tem uma espécie de bojo no equador, causado pelo movimento de rotação.

Representação da Terra geoide, com formato irregular e variações gravitacionais (Imagem: Reprodução/ICGEM/Wikimedia Commons)
Representação da Terra geoide, com formato irregular e variações gravitacionais (Imagem: Reprodução/ICGEM/Wikimedia Commons)

Quando um objeto gira, o que está na parte mais externa tende a se mover mais rapidamente do que está na interna para acompanhar o movimento. No caso dos planetas, a gravidade mantém unida a matéria mais externa, mas durante a rotação, esta matéria tenta “escapar” devido à força centrífuga. Conforme a massa do equador é empurrada externamente, esta região planetária se torna mais protuberante.

É por isso que dizemos que o formato da Terra é “geoide” — ou seja, nosso planeta é esférico, mas tem várias deformações e diferenças sutis de gravidade em sua estrutura. Na Terra, estas variações se traduzem em 0,3% de espessura a mais no equador, enquanto em Saturno, este número chega a 10,7%.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: