Mercado fechará em 56 mins
  • BOVESPA

    113.849,27
    -1.213,27 (-1,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,56
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.754,00
    -40,80 (-2,27%)
     
  • BTC-USD

    47.667,36
    -401,04 (-0,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.224,47
    -8,82 (-0,72%)
     
  • S&P500

    4.478,46
    -2,24 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    34.797,31
    -17,08 (-0,05%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.499,25
    -4,75 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1907
    -0,0053 (-0,09%)
     

Por que a OMS não recomenda a vacina da Rússia?

·2 minuto de leitura

O Brasil acordou, nesta terça-feira (11), com a notícia que a vacina da COVID-19 desenvolvida pela Rússia estaria pronta para ser comercializada, com a possibilidade de chegar em breve ao nosso país. No entanto, poucas horas depois, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que não recomenda o uso das doses.

A vacina criada na Rússia não apresentou resultados de ensaios clínicos das fases 1, 2 e 3 e, por isso, de acordo com Jarbas Barbosa da Silva Jr., diretor-assistente da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório regional da OMS, o seu uso não será recomendado. Antes de iniciar as aplicações, segundo o diretor, é preciso que a vacina tenha seus ensaios concluídos e sejam analisadas pelas autoridades regulatórias de cada país.

<em>Imagem: Freepik</em>
Imagem: Freepik

"Numa emergência de saúde pública há processos para uma avaliação mais rápida, mas apenas com a garantia de eficácia e segurança", relata Barbosa da Silva Jr, afirmando ainda que todo esse processo é crucial para a pré-qualificação e recomendação do produto. Em relatório no próprio site da OMS, a vacina da Rússia, produzida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya, apresenta resultados apenas para a fase 1.

O estado do Paraná já anunciou a intenção de fechar uma parceria com o país para os testes finais da vacina, batizada de Sputnik V, com contrato possivelmente firmado nesta quarta-feira, dia 12. A última etapa de testes, chamada de fase 3, é a mais crucial para a liberação das doses, pois é ela que vai definir não só a sua eficácia contra o SARS-CoV-2, como também sua segurança.

Aprovação da OMS não é necessária

Mesmo que a Organização Mundial de Saúde não recomende o uso de uma vacina, não é necessária a sua aprovação para que ela seja colocada em circulação. O que é pedido à OMS seria uma pré-qualificação, que funciona como um selo de qualidade. "E então há um processo de revisão e avaliação dos dados de segurança e eficácia que foram colhidos nos ensaios clínicos. A OMS faria isso para qualquer vacina candidata", esclarece Tarik Jasarevic, porta-voz da OMS.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos