Mercado fechará em 5 h 43 min
  • BOVESPA

    101.252,42
    -7,33 (-0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,79
    -1,06 (-2,66%)
     
  • OURO

    1.904,20
    -1,00 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    13.158,33
    +81,32 (+0,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,52
    +2,07 (+0,79%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.841,07
    -19,21 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.562,75
    -100,75 (-0,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6719
    +0,0080 (+0,12%)
     

Por que o Nubank comprou a Easynvest

Marcus Couto
·2 minutos de leitura
Fachada do Nubank. (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Fachada do Nubank. (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

A fintech Nubank, do colombiano David Vélez e da brasileira Cristina Junqueira, confirmou nesta sexta-feira (11) a aquisição da corretora Easynvest, por valores não revelados. O negócio, segundo a Exame, foi fechado na noite de quinta-feira, sob acordo de pagamento em dinheiro e troca de ações.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A compra é uma das mais relevantes do mercado financeiro brasileiro nos últimos anos por envolver duas empresas de grande porte, com destaque no ramo: o Nubank, que vive processo de acelerada expansão, com cerca de 26 milhões de usuários de sua conta digital, e a Easynvest, com cerca de 1,5 milhão de clientes e mais de R$ 20 bilhões sob sua custódia.

Leia também

O movimento do Nubank se dá justamente nesse contexto de expansão da fintech, que recentemente anunciou ter nada menos que R$ 19 bilhões em caixa – ou seja, musculatura financeira suficiente para alavancar sua expansão inclusive através de grandes aquisições.

A compra da Easynvest coloca o Nubank em posição de vantagem no aquecido mercado das corretoras de investimento, onde encontra outra gigante brasileira – a XP Investimentos – e provavelmente disputará espaço com ela.

A XP, inclusive, anunciou recentemente o lançamento de um cartão de crédito sem anuidade que oferecerá, segundo a empresa, um sistema de cashback na forma de investimentos em fundos especiais.

O crescimento por meio de aquisições é uma estratégia conhecida no setor da tecnologia – basta pensar no caso do Facebook, usando seu caixa para embolsar o Instagram e o WhatsApp. Empresas com muito dinheiro proveniente de fundos investimentos, como é o caso do Nubank, buscam comprar outras parceiras que podem dar a elas uma posição de maior dominância de mercado, e assim isolá-las ainda mais na liderança.

Em entrevista à Exame, o CEO do Nubank, David Vélez, explica a estratégia:

"Estudamos o setor de investimentos com muito cuidado já há algum tempo e entendemos que ele é estratégico por várias razões. Uma vez que o Nubank comece a oferecer produtos de investimentos para os nossos 30 milhões de clientes, há um potencial enorme para conquistarmos uma posição ainda mais forte nesse mercado."

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube