Mercado fechará em 1 h 21 min
  • BOVESPA

    112.757,71
    -6,55 (-0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.856,48
    +3,11 (+0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,48
    -2,61 (-2,83%)
     
  • OURO

    1.794,30
    -21,20 (-1,17%)
     
  • BTC-USD

    24.113,91
    -172,44 (-0,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    572,64
    -18,12 (-3,07%)
     
  • S&P500

    4.297,20
    +17,05 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.930,49
    +169,44 (+0,50%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.654,25
    +76,50 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1778
    -0,0257 (-0,49%)
     

Por que o leite está tão caro?

Preço do leite já subiu 28,5% desde janeiro deste ano,
Preço do leite já subiu 28,5% desde janeiro deste ano,
  • Preço do produto já subiu 28,5% desde janeiro deste ano,

  • Alta no combustível também afeta o leite,

  • Mudanças climáticas causadas pelo La Niña diminuíram a produção.

Nas últimas semanas os consumidores puderam perceber um salto no preço do leite, com algumas marcas chegando a custar quase R$ 10 o litro. De acordo com o índice IPCA-15, medido sempre entre os dias 15 de cada mês, o leite longa vida já sofreu um aumento de 28,5% desde janeiro. O que fica na cabeça é a pergunta de sempre: por que?

Acontece que uma confluência de fatores levaram o leite a chegar nesse preço, fatores que vão desde aumentos causados pela guerra na Ucrânia, alterações climáticas e até mesmo redução na oferta.

Mudanças climáticas

Tradicionalmente, o preço do leite já sobe no período de inverno devido ao padrão climático brasileiro, que apresenta um inverno mais seco. Isto porque as chuvas ajudam a contribuir para o florescimento das pastagens, que o gado utiliza de alimento. Sem ela o próprio organismo das vacas diminui a produção de leite.

Só que neste ano o fenômeno do La Ninã acentuou a seca no Brasil, especialmente nas regiões produtoras de leite, enquanto em outras, por conta das alterações climáticas estão vendo chuvas atípicas. Espera-se que o fenômeno já subsidie no final de julho, e que já nos meses de saída do inverno, agosto e setembro, as chuvas retornem, e o preço do leite volte a baixar.

Guerra na Ucrânia

A guerra na Ucrânia, que já dura seis meses, continua deixando marcas no cenário comercial global, dentre elas o aumento no preço dos combustíveis e dos fertilizantes. Se o gado não se alimenta de pastagem natural, ele come ração, que depende de fertilizantes para crescer.

Por outro lado, o elevado preço dos combustíveis no mercado internacional foi refletido no mercado interno com a política de preços da Petrobras, o que elevou no Brasil o custo de todo e qualquer frete e entrega, elevando o custo dos produtos como consequência.

Diminuição na oferta

Por fim, a produção de leite vem caindo nos últimos três anos devido aos altos custos associados à prática. Com isso muitos fazendeiros têm trocado de produção. No entanto, a demanda pelo produto voltou a subir, e a oferta não tem conseguido acompanhar, o que gera um aumento no preço. "Como consequência, a estrutura produtiva agora enfrenta dificuldades para aumentar a oferta (de leite)", disse ao Globo Natália Grigol, pesquisadora do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos