Mercado fechará em 4 h 23 min
  • BOVESPA

    125.082,79
    -1.063,87 (-0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.249,75
    +9,24 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,71
    -0,20 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.800,50
    -4,90 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    32.402,22
    +109,72 (+0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    787,07
    -6,67 (-0,84%)
     
  • S&P500

    4.405,60
    +38,12 (+0,87%)
     
  • DOW JONES

    35.066,48
    +243,13 (+0,70%)
     
  • FTSE

    7.024,94
    +56,64 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.054,00
    +125,50 (+0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0878
    -0,0324 (-0,53%)
     

Por que o Bitcoin voltou a cair e o que esperar a partir de agora

·3 minuto de leitura

O preço do Bitcoin passou por uma gangorra durante o fim de semana e voltou a ser negociado na região de US$ 32.000 nas primeiras horas desta segunda-feira (21).

O gráfico semanal do BTC mostra que houve um ensaio de alta há duas semanas, após o preço cair para US$ 32.500 e subir com relativa confiança. No entanto, o otimismo se foi após um fechamento semanal negativo.

No fechamento da matéria, o preço era negociado perto de US$ 32.500, em recuo de mais de 20% após atingir a máxima local na zona de US$ 41.300 na segunda-feira da semana passada.

Fator China

O movimento de baixa, embora também possa também ter relação com uma confluência de sinais técnicos de mercado, pode ter sido provocado novamente por iniciativas da China contra a mineração no país.

Enquanto avança com o yuan digital e dá sequência a um plano ousado de desenvolvimento de tecnologia blockchain, o país asiático decidiu remar contra a indústria de mineração. A China, vale lembrar, reúne cerca de 80% do poder de processamento da rede do Bitcoin, mas especialistas já cogitam que isso deve diminuir rapidamente.

Ações mais concretas foram tomadas nos últimos dias, com o alerta do governo contra a mineração na província de Yunnan. Na sequência, oficiais chineses miraram os mineradores de Ya’an, que também reúne uma importante parcela da indústria de mineração no país.

Como consequência, o hash rate do Bitcoin, número que aponta o poder de processamento e dá a medida de segurança da rede, caiu para a mínima de 180 dias. O recuo é atribuído diretamente ao encerramento das atividades de fazendas de mineração na China.

O que mostra o gráfico do Bitcoin

Fatores externos parecem ser preponderantes no momento para determinar a direção do preço do Bitcoin. No entanto, o gráfico oferece alguns sinais técnicos que ajudam a entender o movimento a partir de agora.

Segundo o analista de criptomoedas Valdrin Tahiri, o Bitcoin está testando novamente o importante nível de suporte na região dos US$ 30.000, por ora com possível risco de queda maior dados os indicadores em baixa.

De acordo com o especialista, a análise gráfica sugere o Bitcoin pode eventualmente cair ainda mais, momento em que testaria o um novo suporte em US$ 27.000.

Bitcoin pode ir a US$ 27.000 se indicadores continuarem pessimistas.
Bitcoin pode ir a US$ 27.000 se indicadores continuarem pessimistas.

Ainda segundo o analista, o gráfico de duas horas é o mais otimista no momento, já que mostra alguns sinais de alta apesar da forte dificuldade em ultrapassar os US$ 35.000. No entanto, Tahiri alerta que isso pode se passar apenas de um salto de curto prazo em um movimento de baixa no longo prazo.

Salto no gráfico de duas horas pode ser momentâneo.
Salto no gráfico de duas horas pode ser momentâneo.

Cenário otimista

Tahiri também aponta um possível cenário otimista pintado pela contagem de ondas, um termo técnico que leva em conta movimentos de prazos mais longos. Nesta análise, é possível levar em conta que o Bitcoin estaria em seu quarto recuo corretivo desde o início de um movimento de alta em dezembro de 2018.

Bitcoin pode estar em quarta onda corretiva que terminaria em julho, setembro ou dezembro.
Bitcoin pode estar em quarta onda corretiva que terminaria em julho, setembro ou dezembro.

Se isso for verdade, haveria três possíveis datas para o fim do atual ciclo corretivo, após o qual o preço poderia voltar a subir com força. Elas variam conforme os níveis das projeções de Fibonacci, muito usada na análise técnica do Bitcoin: a queda poderia terminar em 19 de julho, 20 de setembro ou apenas no final de dezembro de 2021.

O artigo Por que o Bitcoin voltou a cair e o que esperar a partir de agora foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos