Mercado fechará em 2 h 55 min
  • BOVESPA

    103.378,98
    +2.604,41 (+2,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.530,09
    +522,93 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,07
    +0,50 (+0,76%)
     
  • OURO

    1.766,90
    -17,40 (-0,98%)
     
  • BTC-USD

    56.475,51
    -2.284,65 (-3,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.441,58
    +2,70 (+0,19%)
     
  • S&P500

    4.550,12
    +37,08 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.476,14
    +454,10 (+1,33%)
     
  • FTSE

    7.134,75
    -33,93 (-0,47%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.809,00
    -60,75 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3708
    -0,0760 (-1,18%)
     

Por que a Amazon não vai mais aceitar cartões Visa no Reino Unido

·2 min de leitura
A visa credit card is held in front of an Amazon logo in this picture illustration taken September 6, 2017. REUTERS/Philippe Wojazer/Illustration
A visa credit card is held in front of an Amazon logo in this picture illustration taken September 6, 2017. REUTERS/Philippe Wojazer/Illustration
  • Gigante do e-commerce afirma que irá deixar de aceitar cartões de crédito Visa em 17 de janeiro;

  • Motivo envolve as altas taxas cobradas pela empresa de cartões para transações;

  • Medida é válida apenas com os cartões de crédito da marca;

A Amazon declarou em comunicado divulgado à imprensa nesta quarta-feira que deixará de aceitar cartões de crédito Visa emitidos no Reino Unido a partir do dia 17 de janeiro do próximo ano devido às altas taxas cobradas pelo processador de pagamentos para transações. A medida é válida apenas para os cartões de crédito, não sendo válida para os cartões de débito Visa, e para outras bandeiras como Amex, MasterCard e Eurocard.

Leia também:

"Como resultado do alto custo de pagamentos da Visa, lamentamos que a Amazon.co.uk não aceite mais cartões de crédito Visa emitidos no Reino Unido a partir de 19 de janeiro de 2022", disse um porta-voz da Amazon em um comunicado por e-mail à imprensa. Em resposta, a Visa declarou, por meio de seu porta-voz à BBC, estar "muito desapontada com a ameaça da Amazon de restringir a escolha do consumidor no futuro".

Luta por taxas de transação é grande entre empresas e processadores de pagamentos

Os comerciantes há muito disputam com os processadores de pagamentos as taxas de transação. Uma unidade da cadeia de supermercados norte-americana Kroger em 2019, parou de aceitar os cartões de crédito da Visa, alegando na época taxas excessivas, segundo a agência Reuters. Segundo uma fonte ligada à Amazon relatou a BBC, a disputa tem a ver com "aumentos de preço bastante flagrantes" da Visa nos últimos anos, sem nenhum valor adicional ao serviço.

Questionada pela BBC, a Amazon se recusou a dizer quanto a empresa de cartões cobra do varejista para processar transações feitas com cartões de crédito. A Visa também não quis comentar, embora alegue que, em média, a taxa de processamento de pagamento de seus cartões de crédito leva menos de 0,1% do valor de uma compra. 

Por outro lado, tanto a Amazon, quanto a Visa, disseram que qualquer mudança nas taxas não tem a ver com o Brexit. O esclarecimento acontece porque tanto a Visa quanto sua rival do ramo, a Mastercard, aumentaram a chamada taxa de intercâmbio em transações internacionais entre empresas no Reino Unido e União Europeia após o Brexit. A disputa entre a gigante do e-commerce e a gigante do ramo dos cartões tem exclusivamente a ver com as taxas que a Visa cobra da Amazon por seus serviços no país, segundo a BBC. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos