Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,70
    +0,06 (+0,13%)
     
  • OURO

    1.844,60
    +3,50 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    19.459,69
    +510,79 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,19
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.493,75
    +31,50 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2569
    -0,0629 (-1,00%)
     

Por desgaste do campo anexo, Botafogo estuda treinar na Barra

Sergio Santana
·1 minuto de leitura


A rotina da comissão técnica do Botafogo passou perto de ter uma mudança significativa. Em entrevista coletiva realizada na última quarta-feira, Carlos Augusto Montenegro, membro do Comitê Executivo de Futebol, revelou que o time profissional do Alvinegro por pouco não ficou um mês treinando no campo da Aeronáutica, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Isto se dá pelas condições do campo anexo do Estádio Nilton Santos, local atual de treinamentos dos atletas. O campo, desgastado pelas atividades diárias, está esburacado e não é regular.

- Eu recebi a informação que o campo estava ruim, inclusive com os goleiros tendo dificuldades para cair. Eu mandei procurar outro lugar, chegamos a ver no clube da Aeronáutica e, na hora que o pessoal ia para lá, o Agostini (VP de futebol) me avisou que o pessoal que faz a manutenção deu uma ajeitada boa no campo anexo. Se não, íamos treinar por um mês na Barra - afirmou o ex-presidente.

Durante a entrevista, contudo, Montenegro afirmou que faria uma checagem com as pessoas do dia a dia no Nilton Santos para saber das condições do campo anexo. Caso a resposta seja negativa, ele vai planejar a mudança de treinamentos para a Barra da Tijuca por pelo menos 30 dias.

Durante o possível período fora, o campo anexo passaria por um novo plantio para ter as mesmas condições do estádio principal do Nilton Santos, palco das partidas.