Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,36
    -0,03 (-0,04%)
     
  • OURO

    1.808,10
    +8,40 (+0,47%)
     
  • BTC-USD

    40.200,53
    +968,58 (+2,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    939,31
    +9,38 (+1,01%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.983,00
    -28,50 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0674
    +0,0089 (+0,15%)
     

Por causa de lei, Google, Facebook e Twitter ameaçam deixar Hong Kong

·1 minuto de leitura
Por causa de lei, Google, Facebook e Twitter ameaçam deixar Hong Kong
Por causa de lei, Google, Facebook e Twitter ameaçam deixar Hong Kong

A grandes marcas de tecnologia, Facebook, Twitter e Google ameaçaram encerrar totalmente os serviços em Hong Kong. Isso porque no país, se discute uma lei que tornaria as empresas responsáveis pela disseminação de informações com inverdades e fake news na internet. Segundo as empresas, isso inviabilizaria as operações das companhias.

Nesta segunda-feira (5), a informação foi divulgada no The Wall Street Journal e de acordo com o veículo, as marcas formalizaram a suposta decisão em uma carta enviada ao governo local, além de ser assinada em conjunto por outros empreendimentos que também atuam na internet.

A preocupação de empresas como o Facebook, Twitter e Google é de que a nova política coloque em risco os funcionários e executivos, pois eles poderiam ser investigados e responsabilizados por ocorrências praticados pelos usuários das redes. Por exemplo, o doxing é a prática de disseminar dados e informações pessoais na internet.

Leia mais:

Tudo isso aconteceu porque o Gabinete de Assuntos Constitucionais de Hong Kong pretende alterar a lei local de proteção de dados com a justificativa de combater crimes como o doxing. Vale lembrar que em 2019, a população protestou contra a interferência chinesa nas leis da nação e no uso do Facebook, Twitter e Google

“A única maneira de evitar essas sanções para as empresas de tecnologia seria abster-se de investir e oferecer os serviços em Hong Kong”, conforme diz um trecho da carta assinada pelas empresas em 25 de junho. Portanto, as novas leis são uma “resposta completamente desproporcional e desnecessária” aos crimes virtuais, podendo colocar em risco a liberdade de expressão.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos