Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,07 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.979,75
    +590,55 (+2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,54 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,23 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1538
    -0,0650 (-1,25%)
     

Policiais federais vão parar por uma hora por reestruturação prometida por Bolsonaro

*ARQUIVO* Brasília, DF - 27/04/2022 - Foto, Presidente Jair Bolsonaro durante discurso. Nesta quarta (27) o Presidente Jair Bolsonaro (PL) participa de encontro com Parlamentares chamado ?Liberdade de Expressão?. O Deputado Federal Daniel Silveira estava presente na cerimonia  com o decreto da Graças enquadrado , presente do Deputado Coronel Tadeu. (FOTO: Antonio Molina/Folhapress)
*ARQUIVO* Brasília, DF - 27/04/2022 - Foto, Presidente Jair Bolsonaro durante discurso. Nesta quarta (27) o Presidente Jair Bolsonaro (PL) participa de encontro com Parlamentares chamado ?Liberdade de Expressão?. O Deputado Federal Daniel Silveira estava presente na cerimonia com o decreto da Graças enquadrado , presente do Deputado Coronel Tadeu. (FOTO: Antonio Molina/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os policiais federais marcaram uma paralisação por 1 hora para esta quinta-feira (12) em mais uma ação de mobilização contra o descumprimento da promessa do governo Bolsonaro de reestruturação das carreiras federais da segurança.

A paralisação está prevista em horários definidos por cada unidade da PF e os policiais devem expor faixas em que cobrarão o governo da promessa feita após a categoria sobre reveses com a reforma da previdência e PEC Emergencial.

No Rio de Janeiro o ato está marcado para ocorrer no Aeroporto Internacional Santos Dumont, às 10h. Em São Paulo, a paralisação está prevista para às 11h e em Brasília será às 10h, em frente às superintendências regionais.

A tensão entre os policiais e governo tem aumentado nas últimas semanas desde a sinalização do anúncio linear de 5% para todas as carreiras federais, que inviabiliza a promessa de reestruturação feita pelo governo quando reservou R$ 1,7 bilhão do orçamento no ano passado.

Na quarta (11), o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Anderson Torres, não compareceram à solenidade de encerramento do curso de formação de 494 novos policiais federais.

A ausência foi creditada nos bastidores ao clima ruim entre governo e policiais federais instalado pela falta de cumprimento da promessa de reestruturação.

A ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal) pediu, em assembleia dos seus associados na última semana, a renúncia de Torres.

O Ministério da Justiça creditou a ausência de Torres imprevistos de agenda, devido ao trabalho e disse que situação entre o ministro e o presidente "segue ótima e não há algum dissabor com a PF".

Nas redes sociais, adversários políticos do presidente, como a deputada Joice Hasselmann (PSDB-SP) relacionaram a ausência a crise do governo com a categoria.

"Como esperado, Bolsonaro fugiu da formatura dos alunos da Polícia Federal hoje. Bateu o medo de receber vaiaço e ser cobrado por promessas não cumpridas", tuitou a deputada.

Bolsonaro durante seu mandato foi a ao menos duas formaturas de policiais federais. Uma em dezembro de 2021 e outra em novembro de 2019.

O reiterado descumprimento de promessas pelo governo Bolsonaro tem irritado os policiais federais.

Entre delegados, peritos e agentes, a sinalização de que não fará a reestruturação da carreira é tido como mais um revés imposto pelo governo que se elegeu com a bandeira de defesa e valorização da polícia.

Além da reestruturação, eles citam as perdas com o aumento da alíquota de contribuição imposto pela reforma da Previdência e a PEC Emergencial, aprovada em março de 2021 com apoio da base do governo, que prevê um gatilho para congelamento de salário e proibição de progressão na carreira e novas contratações sempre que houver decretação de estado de calamidade ou quando a relação entre despesas correntes e receitas correntes alcançar 95%.

Nesta quarta (11), em uma tentativa de reverter a crise, a base do governo apoiou a votação de uma medida provisória que muda a destinação de recursos do Funapol (Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades fim da Polícia Federal) e que prevê a possibilidade de um agente receber pagamento em dinheiro por ficar de sobreaviso.

A MP altera o dispositivo e prevê a destinação de até 50% dos recursos em transporte, hospedagem e alimentação de servidores em missão oficial. O dinheiro também pode ser usado para saúde e pagamento de indenização ao servidor da PF que, voluntariamente, deixar de gozar integralmente do repouso remunerado, permanecendo à disposição do serviço.

Hoje, esse policial só tem a opção de tirar a folga. Com a MP, ele poderá optar por ficar de sobreaviso e receber em dinheiro. A intenção é tentar ampliar o efetivo disponível para operações policiais, ainda que a opção pelo benefício seja voluntária.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos