Mercado abrirá em 3 h 10 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,00
    +0,62 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.764,70
    -5,90 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    55.136,83
    -1.920,14 (-3,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.243,66
    -55,30 (-4,26%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.939,90
    -60,18 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    29.135,73
    +29,58 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.100,38
    -584,99 (-1,97%)
     
  • NASDAQ

    13.863,75
    -33,50 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6937
    +0,0180 (+0,27%)
     

Polícia intima Felipe Neto a depor nesta quinta por chamar Bolsonaro de genocida

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Felipe Neto prestará depoimento nesta quinta-feira por chamar Bolsonaro de genocida - Foto: Reprodução
Felipe Neto prestará depoimento nesta quinta-feira por chamar Bolsonaro de genocida - Foto: Reprodução

Felipe Neto foi intimado pela Polícia Civil a prestar depoimento nesta quinta-feira. Ele deve se explicar à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática sobre a declaração feita a respeito do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na qual chamou-o de “genocida”.

Segundo o delegado Pablo Sartori, Felipe pode escolher se comparecerá pessoalmente ou enviará uma petição por meio de sua defesa, como explicou o G1. Sartori já havia sido responsável por indiciar o youtuber em 2020 por corrupção de menores.

Leia também:

O próprio Felipe afirmou que a intimação aconteceu após pedido de Carlos Bolsonaro, vereador por São Paulo e filho do presidente, justamente o responsável por pedir a intimação do youtuber no ano passado.

Felipe revelou ter recebido a notificação da Polícia Civil do Rio de Janeiro na última segunda-feira. “A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar”, escreveu em seu Twitter.

O youtuber aproveitou a postagem para esclarecer os motivos que o levaram a chamar o presidente de genocida. Ele considerou que a atribuição do termo se dá pelo que ele chama de “nítida ausência de política de saúde pública” do governo em meio à pandemia do coronavírus.