Mercado abrirá em 2 h 7 min
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,38
    -0,47 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.841,20
    -7,70 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    31.382,05
    +50,64 (+0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    632,14
    +4,48 (+0,71%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.445,04
    -122,33 (-1,86%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.955,00
    -150,50 (-1,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Polônia impõe confinamento parcial de três semanas a partir de 28 de dezembro

·1 minuto de leitura
Ativistas da Polônia em protesto contra as medidas de restrição devido ao coronavírus, em Frankfurt

A Polônia sofrerá um confinamento parcial de três semanas a partir de 28 de dezembro, que inclui o fechamento de centros comerciais e estações de esqui para combater o coronavírus, informou o ministro da Saúde nesta quinta-feira (17).

O governo também vai impor restrições de viagens para a véspera de Ano Novo, explicou o ministro Adam Niedzielski.

"Vamos impor um confinamento nacional de 28 de dezembro a 17 de janeiro", explicou o ministro à imprensa. O objetivo é "nos proteger de uma terceira onda" da covid-19, acrescentou.

As pessoas que chegarem do exterior serão submetidas a uma quarentena de dez dias.

As restrições atuais, como as limitações de pessoas nos transportes públicos e nas igrejas, serão mantidas. Os restaurantes e bares permanecerão fechados e reuniões de mais de cinco pessoas estão proibidas.

As escolas de todos os níveis também foram fechadas até 17 de janeiro.

Nesta quinta-feira, o ministério polonês da Saúde informou que um total de 1.171.854 pessoas se infectaram com o vírus (11.953 em 24 horas), das quais 24.345 morreram (431 em 24 horas).

mas/jz-me/mb/aa