Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,04
    +0,13 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.876,00
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    39.079,51
    +3.459,95 (+9,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,80
    +40,99 (+4,35%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.018,75
    +24,50 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1932
    +0,0006 (+0,01%)
     

Políticos do RJ têm criptomoedas apreendidas com ajuda de exchanges

·2 minuto de leitura

Nesta segunda-feira (7), a 1ª Vara Criminal Especializada do estado do Rio de Janeiro decretou o sequestro dos bens, incluindo criptomoedas, de políticos de um município do RJ investigados por envolvimento em corrupção e lavagem de dinheiro.

Durante a apreensão das criptomoedas, o Ministério Público do estado (MPRJ) contou com a colaboração de exchanges que atuam neste mercado no país. As autoridades não informaram quais empresas ajudaram os órgãos na investigação e a quantia em criptomoedas encontrada no cumprimento dos mandados.

A operação, nomeada de Chorume Fase II, cumpriu com oito mandados de prisão, sendo um dos alvos Paulo César Gonçalves Ladeira, ex-prefeito de Carmo, um município de pouco mais de 17 mil habitantes a 82 quilômetros da capital carioca. Uma vereadora e ex-secretários públicos da cidade também foram presos.

Além disso, 14 mandados de busca e apreensão, incluindo de criptomoedas, foram realizados a indivíduos e endereços ligados ao esquema criminoso. Os acusados respondem por corrupção ativa e passiva, associação criminosa e prevaricação.

Entenda as acusações

brasil criptomoedas
brasil criptomoedas

As investigações já haviam dado origem à primeira fase da operação, que resultou na prisão de Ladeira, em março deste ano. Foram encontrados R$ 128.900 oriundos de propinas e atividades criminosas no sítio do ex-prefeito.

De acordo com o Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, foram observadas diversas irregularidades na contratação da empresa Limpeza Urbana para a prestação de serviços ao município.

Em 2019, um escândalo de corrupção envolvendo a Limpeza Urbana no Espírito Santo fez a prefeitura realizar uma nova licitação. No entanto, a empresa vencedora, a Forte Ambiental, possuía os mesmos sócios da Limpeza Urbana como titulares.

Todos os contratos superfaturados teriam sido realizados enquanto Ladeira foi prefeito da cidade, entre 2017 e 2020, e teriam gerado um prejuízo de aproximadamente R$ 40 milhões para os cofres públicos.

Criptomoedas e a lei brasileira

justiça
justiça

Apesar de não ter regulação específica, como o mercado de capitais, o mercado de criptomoedas e agentes que atuam no Brasil são regidos por leis como a a Instrução Normativa 1.888, que obriga exchanges a informarem todas as negociações de brasileiros à Receita Federal.

Desde maio de 2019, as exchanges nacionais e demais empresas deste setor precisam estar de acordo com a IN1888, que “institui e disciplina a obrigatoriedade de prestação de informações relativas às operações realizadas com criptoativos à Secretária Especial da Receita Federal do Brasil (RFB)”.

As principais corretoras de criptomoedas que atuam no Brasil alegam que que contribuem com autoridades para investigação de crimes.

O artigo Políticos do RJ têm criptomoedas apreendidas com ajuda de exchanges foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.