Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.898,60
    -203,39 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.537,99
    -970,36 (-1,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,49
    -1,06 (-1,24%)
     
  • OURO

    1.830,10
    -12,50 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    38.231,98
    -4.453,47 (-10,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    896,02
    +653,34 (+269,22%)
     
  • S&P500

    4.414,33
    -68,40 (-1,53%)
     
  • DOW JONES

    34.378,77
    -336,62 (-0,97%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.504,00
    -337,00 (-2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1819
    +0,0518 (+0,85%)
     

Polícias Federal e Rodoviária teriam perdido dados após ataques cibercriminosos

·2 min de leitura

Além do Ministério da Saúde, a Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal parecem ser os órgãos do governo brasileiro mais atingidos por um ataque cibercriminoso que se estende desde o dia 10 de dezembro. As corporações seguem com seus sistemas há mais de uma semana, e agora, surgem relatos de que dados importantes também teriam sido perdidos como parte do golpe sofrido pelos sistemas da administração.

Segundo apuração do repórter Renato Souza, do R7, desapareceram informações de policiais que possuem dívida ativa com a União e, também, informações de condutores de veículos que estavam cadastrados junto às corporações. Além disso, com as plataformas fora do ar, os servidores das polícias não são capazes de planejar fiscalizações, operações e outros trabalhos que envolvem, inclusive, a entrada de pessoas no país.

De acordo com fontes ouvidas pelo noticiário, a perspectiva é de que o acesso aos sistemas retorne ainda nesta segunda-feira (20), mas os servidores afirmam não terem certeza de que os dados perdidos serão recuperados. No centro da indisponibilidade estaria o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), que abrange diferentes pastas do governo federal.

Enquanto isso, seguem as investigações sobre o caso, com as autoridades trabalhando com a hipótese de que indivíduos com acesso ao sistema foram os responsáveis pela venda de credenciais — existem, também, a ideia de que os sistemas foram comprometidos devido ao não cumprimento de boas práticas de segurança. Até o momento, porém, os autores da ação e sua localização não teriam sido obtidos.

Em meio a discussões sobre vacinação infantil e a aplicação de dose de reforço da covid-19, os sistemas do SUS também seguem fora do ar. Desde o dia 10 de dezembro, quem tenta obter comprovantes de imunização pelo app Conecte SUS não consegue, com a expectativa mais recente do governo federal sendo de um retorno na última sexta (17), o que não aconteceu. Outras pastas, como a Controladoria Geral da União (CGU) e o Ministério da Economia também foram atingidos pelo ataque cibernético generalizado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos