Mercado fechará em 2 h 33 min
  • BOVESPA

    116.089,91
    -44,55 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.789,35
    +359,60 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,27
    +2,64 (+3,16%)
     
  • OURO

    1.729,80
    +27,80 (+1,63%)
     
  • BTC-USD

    19.922,03
    +441,91 (+2,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,86
    +7,43 (+1,67%)
     
  • S&P500

    3.766,45
    +88,02 (+2,39%)
     
  • DOW JONES

    30.144,31
    +653,42 (+2,22%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.541,00
    +255,25 (+2,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1881
    +0,1142 (+2,25%)
     

Polícia suíça encontra chaves criptográficas de programas de sequestros de dados

A polícia de Zurique, na Suíça, anunciou nesta sexta-feira (16) que recuperou um grande número de chaves de descriptografia para programas maliciosos de ransomware, no âmbito de uma ampla investigação internacional.

Os cibercriminosos são acusados de participar de ataques com ransomware - softwares que “sequestram” sistemas digitais e só devolvem o acesso a seus legítimos donos mediante o pagamento de um resgate - contra mais de 1.800 pessoas e instituições em 71 países.

França, Holanda, Noruega, Ucrânia, Estados Unidos e Suíça “conseguiram, com apoio da Europol e Eurojust, atingir um grupo de cibercriminosos que operava em escala global com os programas maliciosos 'LockerGoga' e 'Megacortex'”, indicaram em comunicado conjunto a promotoria e a polícia de Zurique.

Em outubro de 2021, um homem foi preso na Suíça como parte dessa investigação. Atualmente ele está em prisão preventiva em Zurique, segundo o comunicado.

As autoridades estimam que o grupo causou danos de milhões de francos suíços (o equivalente a centenas de milhões de dólares).

As vítimas dos ciberataques, tanto indivíduos quanto instituições, podem recuperar seus dados criptografados pelos hackers graças a um programa configurado pela Europol. A polícia os encoraja a denunciá-los em seus países de origem.

apo/pb/aoc/eg/ic